Tempo
|
A+ / A-

Volta a Itália

João Almeida. "Ainda não sei bem o que fiz"

26 out, 2020 - 13:03 • Redação

João Almeida e Rúben Guerreiro chegaram a Portugal, depois da participação histórica na Volta a Itália em bicicleta.

A+ / A-

João Almeida e Rúben Guerreiro ainda não tiveram tempo para perceber a dimensão daquilo que conquistaram, por Portugal, na Volta a Itália. Os dois ciclistas aterraram em Lisboa, esta segunda-feira, ainda com dificuldades em descrever um momento, mas orgulhosos, agradecidos e alertados de que fizeram história.

"O balanço é mais do que positivo. Depois de conquistarmos a rosa fomos vendo até onde podíamos segurar a camisola. É um momento sem palavras. Ainda sei bem o que fiz", reconhece João Almeida, 4.º classificado do Giro, a melhor classificação de sempre de um português numa grande volta.

O português da Deceuninck QuickStep destaca, como sempre fez nas declarações durante a prova, a importância de estar suportado por uma equipa forte.

João Almeida esteve 15 dias com a camisola rosa, perdeu-a na etapa rainha da Volta a Itália, com passagem pelo Stelvio, mas ainda teve energias para nos últimos dois dias ganhar tempo suficiente para subir um lugar na classificação.

Rúben Guerreiro, da EF Education First, partilha o sentimento de "orgulho" do companheiro e também faz um "balanço muito positivo".

É o primeiro português a ganhar uma classificação de uma grande volta, no caso a da montanha. "O objetivo era lutar por uma etapa, a camisola foi um bónus", diz Rúben que venceu a 9.ª etapa e terminou a Volta a Itália no pódio, com a camisola azul vestida.

"Foi luta muito difícil, mas o apoio dos meus companheiros foi decisivo. Foi apenas a segunda grande volta que fiz, mas tive boas sensações. Depois de um merecido espero planear o meu futuro", diz o corredor da Education First.

João Almeida foi, ainda, terceiro classificado da juventude, conquistada pelo vencedor da prova, o inglês da INEOS Tao Geoghegan Hart. Os dois portugueses terminaram o Giro no "top-10" da combatividade, classificação ganha pelo blega Thomas de Gendt. Rúben foi 4.º classificado e João Almeida foi 9.º.

"Fizeram história"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou João Almeida (Deceuninck-QuickStep), quarto na geral final da Volta a Itália, e Ruben Guerreiro (Education First), vencedor da classificação da montanha, por terem feito "duas prestações extraordinárias".

Numa nota publicada no site da Presidência, é notado que os dois ciclistas "fizeram história com duas prestações extraordinárias que durante as últimas três semanas empolgaram todos os portugueses".

"Estes registos constituem a melhor prestação de sempre de ciclistas portugueses no Giro, fizeram jus à história do ciclismo nacional, honraram o nome de Portugal e merecem o reconhecimento do Presidente da República", afirma Marcelo Rebelo de Sousa.

O primeiro-ministro, António Costa, também deu os parabéns aos dois ciclistas portugueses através de uma mensagem nas redes sociais e fala num dia histórico.

“Foi com grande emoção que acompanhámos as prestações dos ciclistas portugueses no Giro de Itália. As minhas felicitações a João Almeida, pelo resultado histórico, e a Rúben Guerreiro, pela conquista da camisola azul. Dia histórico, de orgulho para o ciclismo português. Parabéns!”

O secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, considera que “o ciclismo português está de parabéns, pelas brilhantes prestações de João Almeida e Ruben Guerreiro no Giro de Itália, e pelo título de Tiago Ferreira, que se sagrou vice-campeão do mundo de BTT (XCM), hoje na Turquia. Dias como este enchem-nos de orgulho e de esperança no futuro”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.