Tempo
|
A+ / A-

Açores

Afluência às urnas nos Açores era de 32,68% às 16h00 locais

25 out, 2020 - 19:45 • Lusa

Os dados provisórios são superiores aos registados em 2016, à mesma hora quando apenas 29,29% tinha votado.

A+ / A-

A afluência às urnas nas eleições para a Assembleia Legislativa Regional dos Açores situava-se, às 16h00 locais (17h00 em Portugal continental), em 32,68%, numa altura em que tinham votado 74.512 eleitores.

Nestas eleições regionais dos Açores estão inscritos 227.999 eleitores.

Em 2016, a afluência às urnas era de 29,29% até às 16h00 locais.

No mesmo ano, a abstenção nas eleições regionais açorianas atingiu 59,16%, um recorde absoluto nestes sufrágios, superando os 53,34% de abstenção em 2008, que era até então o valor mais elevado.

Este domingo, a maior percentagem de afluência às urnas registava-se no círculo eleitoral da ilha do Corvo, onde às 16h00, já tinham votado 230 dos 337 inscritos (68,25%).

Os outros círculos eleitorais onde a taxa de afluência ultrapassava os 40% são Flores (48,75%), Graciosa (47,65%), Faial (42,21%) e São Jorge (42,12%).

O círculo eleitoral de São Miguel registava a taxa de afluência mais baixa (28,47%), tendo votado até então 36.233 eleitores.

O círculo eleitoral da Terceira registava à mesma hora uma taxa de afluência de 35,06%, enquanto o círculo eleitoral de Santa Maria apresentava 33,93% e o círculo eleitoral do Pico 35,70%.

São Miguel, a maior ilha do arquipélago, elege 20 deputados, contando com 128.248 eleitores, seguindo-se a Terceira, com 10 deputados e 52.584 inscritos.

O Pico elege quatro deputados e conta com 13.622 inscritos, o Faial também elege quatro parlamentares e tem 13.037 eleitores.

As ilhas de São Jorge (8.716 eleitores), Santa Maria (5.402), Graciosa (3.933) e Flores (3.120) elegem três deputados cada. A ilha mais pequena do arquipélago, o Corvo, vai eleger dois deputados.

Os restantes cinco deputados são eleitos pelo círculo de compensação, que reúne os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

Ao todo, são 13 as forças políticas que se candidatam aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.