Tempo
|
A+ / A-

“Este é um tempo mais de ser, do que fazer coisas”

Diocese de Viseu projeta plano pastoral com aposta no "online"

24 out, 2020 - 12:31 • Liliana Carona

“A partir das consequências da pandemia, percebemos que este é um tempo mais de ser do que de fazer coisas. Dadas as circunstâncias em que não podemos fazer ajuntamentos, iremos encaminhar as nossas propostas para três objetivos fundamentais, tendo em conta sempre os recursos digitais”, destaca o responsável da pastoral das vocações da diocese de Viseu.

A+ / A-

Vai ser oficializado no domingo, a partir das 15hoo, no Seminário Maior de Viseu, o programa pastoral da diocese para 2021. Pela primeira vez, e por causa da pandemia, o plano vai ser apresentado a um público restrito em auditório (30 pessoas) e transmitido pelas plataformas digitais.

“A partir das consequências da pandemia, percebemos que este é um tempo mais de ser do que de fazer coisas. Dadas as circunstâncias em que não podemos fazer ajuntamentos, iremos encaminhar as nossas propostas para três objetivos fundamentais, tendo em conta sempre os recursos digitais”, destaca o responsável da pastoral das vocações da diocese de Viseu.

O padre João Leão garante que a aposta no digital vai fazer parte das três principais propostas do programa pastoral da diocese de Viseu, a começar pela primeira: a oração: “Tudo é novo neste momento porque estamos a viver tempos inéditos que alteraram as nossas rotinas. Das três orientações principais, está: fomentar a dimensão da espiritualidade da oração, porque, apesar das celebrações terem sido canceladas, percebemos um elo de oração nas famílias, na igreja doméstica. A oração pode ser feita no templo, mas também em casa e para isso vamos oferecer uma série de instrumentos para rezar. Criar guiões e plataformas que ajudem as pessoas, enviar uma lectio divina, devidamente estruturada para que as famílias possam rezar."

Também numa segunda proposta, a formação, o "online" continua sob a atenção de João Leão. “Na questão da formação, sentimos que há um défice de formação, não só na diocese, mas na Igreja. Temos vários ministérios e serviços, mas nem sempre as pessoas estão preparadas e vamos apostar na formação online e já estamos a fazer isso com os catequistas. Tentar acabar com a sectorização da pastoral, ou seja, formações comuns a todos, que sejam concentradas para todos”, sublinha.

A terceira proposta do programa pastoral não é novidade, mas uma certeza, a diocese de Viseu vai continuar atenta e próxima dos mais carenciados. “Terceiro, a dimensão da caridade, cada vez mais percebemos que a pandemia traz o desemprego, traz problemas de carências, e, portanto, a Igreja tem de estar presente mais do que nunca, utilizando os seus recursos paroquiais, mas também a partir das instituições de caridade social que representa”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.