Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

SNS 24 volta a "prescrever" testes de diagnóstico à Covid-19

23 out, 2020 - 23:36 • Lusa

Ministra da Saúde relembra que esta é uma medida excecional e temporária para evitar pressão sobre o SNS, face a aumento de deslocações de utentes aos centros de saúde para pedirem prescrição do teste de rastreio.

A+ / A-

Veja também:


O modelo de requisição de testes de diagnóstico à Covid-19 através da linha de saúde 24 começou esta sexta-feira a funcionar, à semelhança do que aconteceu nos meses mais complexos de março e abril, avançou hoje a ministra da Saúde.

Na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à epidemia de Covid-19 em Portugal, Marta Temido explicou que o modelo mantém os mesmo moldes de funcionamento que na primeira fase da pandemia, referindo que se trata de uma medida excecional e temporária.

“Não é uma prescrição aleatória, é uma prescrição que é feita baseada e tomada de acordo com um algoritmo previamente validado pela Direção-Geral da Saúde e aplicado estritamente nos termos que está desenhado pelo profissional na linha de saúde 24”, afirmou.

Marta Temido acrescentou que a emissão de requisição de testes de diagnósticos à Covid-19 através da linha de saúde 24 está prevista para “uma fase mais complexa”, como aquela que se está agora a viver no combate à pandemia.

A ministra disse ainda que esta decisão foi tomada porque há muitas pessoas a dirigir-se aos cuidados de saúde apenas para obter a prescrição do teste e “isso é uma pressão desnecessária no Serviço Nacional de Saúde e adicionalmente pode ter impacto no atraso na realização do teste”.

Portugal contabiliza hoje mais 31 mortos relacionados com a Covid-19 e 2.899 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim hoje divulgado, desde o início da pandemia de Covid-19 Portugal já contabilizou 112.440 casos confirmados e 2.276 óbitos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.