Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Portugal regista o maior número de mortos desde abril

23 out, 2020 - 14:53 • João Carlos Malta

Nas últimas 24 horas o país registou 31 óbitos por Covid-19, e mais 2.899 infeções.

A+ / A-

Veja também:


Portugal registou o maior número de mortos diários de Covid-19, desde 24 de abril deste ano. De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde, nas últimas 24 horas registaram-se mais 31 mortos e 2.899 infetados.

A 24 de abril deste ano, o país registou o número mais elevado de mortes durante esta pandemia, 37 em apenas 24 horas.

A região Norte é a que mais mortes regista desde o início da pandemia, e esta sexta-feira ultrapassou os mil óbitos motivados pelo novo coronavírus. Lisboa e Vale do Tejo vem logo de seguida com 913 mortos. No centro do país faleceram até ao momento 290 pessoas por Covid-19.

Entre os 31 óbitos registados no dia de ontem, a maior parte, num total de 24, tinham mais de 80 anos, quatro tinham entre 70 e 79 anos, e três estavam entre os 60 e os 69 anos.

As pessoas com mais de 80 anos já contam com mais de 10 mil infeções, número que esta sexta-feira foi superado.


NÚMERO DE MORTE DIÁRIAS POR COVID-19

Nunca houve tantos internados

O país bateu também o recorde de número de doentes internados com 1498 (mais 53 do que no dia anterior). Nos cuidados intensivos há agora 198 doentes (mais quatro do que no dia anterior).

A faixa etária com mais infeções é a dos 20 aos 29 anos com 583 casos. Segue-se as pessoas entre os 40 e os 49 anos com 470 testes positivos. O menor aumento ocorreu nas crianças 0-9 (variação de 100 casos).

Há agora 44.284 casos ativos em Portugal. Desde o início da pandemia, já se confirmaram quase 112.440, dos quais 2.276 acabaram por morrer e 65.880 recuperaram.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.