Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Registado surto com 32 infetados em lar no Cadaval

22 out, 2020 - 12:02 • Lusa

Os afetados são 23 utentes e nove funcionários.

A+ / A-

Trinta e duas pessoas estão infetadas com covid-19 num lar em Alguber, no concelho do Cadaval, existindo mais sete casos relacionados na comunidade, informou hoje o presidente deste município.

José Bernardo Nunes afirmou à agência Lusa que todos os utentes e funcionários da estrutura residencial para pessoas idosas foram testados e que os testes deram resultado positivo em 32 casos, dos quais 23 relativos a utentes e nove referentes a funcionários.

Baseando-se na investigação das autoridades de saúde, o autarca explicou que o surto foi causado por uma festa de aniversário: quatro jovens foram contagiados e infetaram familiares, alguns dos quais trabalham no lar.

Além dos 32 casos positivos no equipamento, existem três casos de infeção na localidade relacionados com este surto e o autarca admite que possam surgir mais, tendo em conta o número de pessoas que se encontram em vigilância.

O Cadaval regista 41 casos ativos, 55 recuperados e duas mortes, de acordo com os mais recentes dados epidemiológicos deste concelho.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.229 pessoas dos 106.271 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.