Tempo
|
A+ / A-

Trinity College de Dublin

Bebés podem ingerir milhões de microplásticos através dos biberões, alerta estudo

19 out, 2020 - 20:33 • Lusa

Investigação revela que biberões usados em Portugal e noutros 47 países podem libertar até 16,2 milhões de microplásticos por litro. Um dos investigadores diz que "é possível mitigar o risco de ingestão de microplásticos se se alterarem as práticas de esterilização e preparação do leite artificial".

A+ / A-

A preparação de biberões com leite artificial (como leite em pó) e a sua esterilização podem libertar 16,2 milhões de microplásticos por litro, indica um estudo divulgado esta segunda-feira na revista da especialidade "Nature Food".

O estudo, liderado por uma equipa do Trinity College de Dublin, Universidade na Irlanda, indica que há uma forte relação entre o calor e a libertação de microplásticos, ressalvando que se devem seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para minimizar a libertação destas partículas.

Os autores do trabalho analisaram cenários de exposição de bebés de até 1 ano aos microplásticos em 48 países, incluindo Portugal, e concluíram que biberões de polipropileno (um dos plásticos de uso comum) podem libertar até 16,2 milhões de microplásticos por litro.

A esterilização dos biberões e a água a alta temperatura aumentam significativamente a libertação de microplásticos, sobretudo quando a temperatura se eleva dos 25 para os 95 graus centígrados.

Consoante o país, a possível exposição a microplásticos oscila entre 14.600 e 4,5 milhões de partículas diárias por bebé. A exposição potencial dos bebés aos microplásticos foi calculada com base, nomeadamente, nos números de vendas de biberões e no volume de leite ingerido diariamente.

Os autores da investigação recomendam, para minimizar a exposição dos bebés aos microplásticos, cujos efeitos sobre a saúde são desconhecidos, que a água usada para esterilizar os biberões seja fervida em recipientes que não sejam de plástico, por exemplo de aço inoxidável.

Alem disso, aconselham que se evite aquecer novamente o leite (em recipientes de plástico), a usar o microondas e a agitar o leite no biberão.

Sem querer alarmar excessivamente os pais, um dos investigadores, John Boland, disse, citado pela agência noticiosa espanhola Efe, que "é possível mitigar o risco de ingestão de microplásticos se se alterarem as práticas de esterilização e preparação do leite artificial".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.