Centro de Saúde de Sete Rios

Filas para vacina contra gripe e falta de organização das autoridades preocupam utentes. “É contraproducente”

19 out, 2020 - 12:10 • Beatriz Lopes (imagens e entrevistas) , Sofia Freitas Moreira (edição)

A 2.ª fase da campanha de vacinação contra a gripe arranca esta segunda-feira nos centros de saúde e farmácias. É gratuita para pessoas com mais de 65 anos, doentes crónicos e imunodeprimidos. No Centro de Saúde de Sete Rios, em Lisboa, os utentes começaram a formar filas desde manhã cedo, antes de as portas abrirem às 8h. Entre as pessoas que aguardavam pelo atendimento, há uma queixa comum: a falta de organização e de comunicação por parte das autoridades de saúde. “Obrigam-nos a vir ao centro de saúde, onde existe muita gente, o que efetivamente é contraproducente. Todos os anos me vacino e, este ano, não há vacinas disponíveis nas farmácias”, descreve à Renascença José Ribeiro, um utente de 75 anos.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.