Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Madeira com primeiro caso positivo em "contexto escolar"

18 out, 2020 - 21:53 • Lusa

Boletim epidemiológico deste domingo dá conta de "sete novos casos positivos a reportar, pelo que a região passa a contabilizar 320 casos confirmados de covid-19 no território regional”.

A+ / A-

Veja também:


A Madeira registou este domingo sete novos casos positivos de covid-19, entre os quais um primeiro em contexto escolar, de um jovem com 31 contactos identificados, totalizando a região 101 doentes ativos, informou a autoridade regional de saúde.

O boletim epidemiológico divulgado pelo Instituto de Administração de Saúde da Madeira (IASaúde) aponta que “hoje há sete novos casos positivos a reportar, pelo que a região passa a contabilizar 320 casos confirmados de covid-19 no território regional”.

O instituto destaca que se regista a primeira situação confirmada “em contexto escolar”, mencionando que “o jovem em causa frequentou a escola no dia 14 e 15 de outubro após ter tido contacto próximo com um caso positivo de covid-19”.

“Foram identificados 31 contactos do jovem no contexto escolar, 12 dos quais foram contactos próximos”, pode ler-se no boletim difundido pelo IASaúde.

Ainda salienta que “a direção da escola foi alertada e os contactos estão a ser informados e testados durante o dia de hoje”.

“Assinala-se a determinação da autoridade de saúde para o confinamento de todos os contactos identificados, o que envolve a restrição às aulas de uma turma”, aponta, assegurando que “a investigação epidemiológica está em curso, podendo a autoridade de saúde determinar novas medidas, conforme a avaliação do risco”.


Sobre os novos casos, a autoridade regional de saúde resume que quatro são “importados, sendo dois provenientes do Reino Unido, um da Venezuela e outro da Região Sul de Portugal”, além de três situações de transmissão local.

“Os três casos de transmissão local correspondem a contactos próximos de um caso importado recentemente diagnosticado, que foram alvo de teste”, estando “outros oito contactos deste caso em estudo”, menciona.

O IASaúde indica que a região totaliza hoje “101 casos ativos, dos quais 92 são casos importados identificados no contexto das atividades de vigilância implementadas no Aeroporto da Madeira e nove são de transmissão local”.

No mesmo documento aponta que estes doentes com situação ativa estão em quarentena, com 56 pessoas a cumprir isolamento numa unidade hoteleira e 45 em alojamento próprio.

Além destes casos, existem outras “41 situações que se encontram hoje em estudo pelas autoridades de saúde”, decorrendo as investigações epidemiológicas, noticia.

A autoridade regional destaca também que mais três pessoas foram dadas como recuperadas, ascendendo a 219 este tipo de situações na região.

No boletim, recorda que até hoje a Madeira contabilizou um total de 1.780 notificações de casos suspeitos de covid-19, “dos quais 1.460 não se confirmaram”.

Em acompanhamento pelas autoridades regionais nos diferentes concelhos da Madeira estão 20.514 pessoas com recurso à aplicação telemóvel MadeiraSafe, das quais 9.359 estão em vigilância ativa.

Sobre a realização de testes de despiste na Madeira, o IASaúde realça que no rastreio efetuado aos viajantes nos portos e aeroportos da região foram recolhidas um total cumulativo de 86.839 colheitas para teste à covid-19 até às 19:00 de hoje.

Por seu turno, o laboratório do Serviço Regional de Saúde da Madeira (SESARAM) processou 136.135, amostras

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e quase 40 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.181 pessoas dos 99.911 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

EVOLUÇÃO DA COVID-19 EM PORTUGAL

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.