Tempo
|
A+ / A-

Estudo

Covid-19 sobrevive na pele por nove horas mas desinfetante elimina vírus em 15 segundos

18 out, 2020 - 13:27 • Lusa

O estudo elaborado no Japão reforça a necessidade da lavagem frequente das mãos.

A+ / A-

Veja também:


Um estudo elaborado por pesquisadores japoneses revelou que o coronavírus SARS-CoV-2 permanece ativo na pele por nove horas, confirmando assim a necessidade de lavar as mãos com frequência para combater a pandemia de Covid-19.

Em comparação, o agente patogénico que causa a gripe sobrevive na pele por cerca de 1,8 horas, diz o estudo publicado este mês na revista Clinical Infectious Diseases.

"A sobrevivência de nove horas do SARS-CoV-2 (a estirpe do vírus que causa a doença covid-19) na pele humana pode aumentar o risco de transmissão por contacto em comparação com o IAV (vírus da influenza A ou influenza A), acelerando assim a pandemia”, dizem os autores do estudo.

Os pesquisadores japoneses testaram amostras de pele retiradas de espécimes de autópsia cerca de um dia após a morte.

Tanto o coronavírus, como o vírus da gripe são inativados em 15 segundos pela aplicação de etanol, usado em desinfetantes para as mãos.

“A maior sobrevivência do SARS-CoV-2 na pele aumenta o risco de transmissão por contacto, mas a higiene das mãos pode reduzir esse risco”, afirmam os investigadores.

O estudo apoia as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a lavagem regular e completa das mãos para limitar a transmissão do vírus.

A Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos em 39,4 milhões de pessoas infetadas desde que o coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença, foi detetado pela primeira vez numa cidade do centro da China, em dezembro de 2019.

Coronavírus. Como lavar as mãos para evitar contágios, em 10 passos
Coronavírus. Como lavar as mãos para evitar contágios, em 10 passos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.