Paris

Detidas mais cinco pessoas ligadas a decapitação de professor. Macron fala em "terrorismo islâmico"

17 out, 2020 - 13:22 • Sofia Freitas Moreira (edição) Reuters (imagens)

A polícia francesa deteve mais cinco pessoas na investigação à decapitação de um professor de história nos subúrbios de Paris, na sexta-feira. No total, já foram detidas nove pessoas. As autoridades estão a tentar perceber se o agressor, morto a tiro pela polícia, agiu sozinho ou se tinha cúmplices. A imprensa francesa avança que o agressor é um russo checheno de 18 anos, nascido em Moscovo, sem antecedentes criminais. A vítima, um professor de história, mostrou caricaturas de Maomé aos alunos, numa aula sobre liberdade de expressão. O presidente Emmanuel Macron visitou o local na noite de sexta-feira e apelidou o incidente de “terrorismo islâmico”.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.