Tempo
|
A+ / A-

José Manuel Mendonça

Criador da app StayAway Covid contra obrigatoriedade. “Polémica era desnecessária”

15 out, 2020 - 18:55 • Pedro Mesquita , Joana Azevedo Viana , Filipe d'Avillez

O ruído em torno da obrigatoriedade, ou não, da aplicação StayAway Covid pode ter o efeito contrário ao desejado, diz José Manuel Mendonça, o criador da aplicação.

A+ / A-

A obrigatoriedade da StayAway Covid é uma polémica desnecessária. Quem o diz é o criador da aplicação, José Manuel Mendonça, presidente do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC-TEC) do Porto.

Em declarações à Renascença, esta quinta-feira, Mendonça foi mais longe e disse mesmo que todo este ruído pode ser contraproducente.

“Vejo a polémica como escusada, porque se o objetivo era difundir ou acelerar a difusão da aplicação junto dos portugueses não é necessário, porque ela tem vindo a crescer rapidamente e já estamos com mais de 1 milhão e 600 mil downloads e vamos a caminho dos dois milhões”, adianta.

De acordo com dados revelados hoje pelo INESC-TEC, mais de 177 mil pessoas descarregaram a aplicação StayAway Covid desde ontem, quarta-feira.

“Não me sinto confortável” com a decisão, admite o presidente do INESC-TEC. “O Governo toma as decisões que entende, e entenderam colocar isto no Parlamento, mas de facto a aplicação não foi desenvolvida com este objetivo [de obrigatoriedade] e foi um modelo concebido para proteger a privacidade dos dados, o anonimato e ser voluntário.”

José Manuel Mendonça não deixa, contudo, de reconhecer alguns méritos na proposta do Governo. “Há uma coisa em que dou razão” ao primeiro-ministro: “é o safanão, conseguiu dar um safanão” que “fez com que as pessoas continuassem ou acelerassem a utilização da aplicação”.

Ainda assim, o especialista teme que, caso a proposta do Governo avance, os efeitos sejam contraproducentes.

“Vai retomar polémicas que estavam fechadas e algumas pessoas, que têm o direito de duvidar da aplicação, e alguns da teoria da conspiração, sobre o problema da privacidade dos dados, a segurança, a geolocalização, vai ser tudo retomado outra vez. Aquilo que estava, na minha opinião, já discutido, e que toda a gente estava serena e satisfeita, neste momento já percebi que os problemas vão ser retomados e vai haver muito ruído. Em pouco mais de 24 horas, já há um ruído superior à informação.”

Se tivesse a oportunidade de falar diretamente com António Costa sobre o assunto, José Manuel Mendonça diz que o alertaria para os perigos da medida. “A StayAway Covid não deveria ser obrigatória, porque torná-la obrigatória pode ter um efeito contrário àquele que o primeiro-ministro pretende, que é aumentar a adesão. Nós aumentamos a adesão com certeza muito melhor e de uma forma mais rápida se não for obrigatória.”

O Governo pretende tornar obrigatório o uso da aplicação por toda a gente que possua aparelhos que o suportem e ameaça com multas até aos 500 euros para quem não cumprir. A proposta do Governo é discutida no Parlamento a 23 de outubro e o Presidente da República já fez saber que não exclui a hipótese de recorrer ao Tribunal Constitucional para apurar legalidade da medida.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    16 out, 2020 Funchal 14:17
    Eu não a quero. Obrigado