Tempo
|
A+ / A-

Porta-voz da Marinha

Pelo menos 30 militares da Marinha infetados com Covid-19

14 out, 2020 - 21:46 • Lusa

Cinco dos casos positivos de infeção neste ramo das Forças Armadas foram registados nas Instalações Navais de Alcântara, em Lisboa.

A+ / A-

Veja também:


Pelo menos 30 elementos da Marinha Portuguesa estão infetados com novo coronavírus, cinco dos quais nas Instalações Navais de Alcântara, em Lisboa, disse à agência Lusa a porta-voz deste ramo das Forças Armadas esta quarta-feira.

De acordo com a porta-voz da Marinha, comandante Nádia Rijo, até hoje este organismo das Forças Armadas portuguesas contabilizou 30 elementos “em toda a Marinha” infetados com o SARS-CoV-2.

A porta-voz acrescentou que não dispunha de “informações sobre se os militares estão assintomáticos”, uma vez que estes infetados estão inseridos “num universo ainda com bastantes militares”.

Nádia Rijo disse também que na direção de pessoal, sediada nas Instalações Navais de Alcântara, há “para já cinco pessoas que acusaram positivo” à presença do novo coronavírus.

“Essas cinco pessoas infetadas estão em isolamento”, explicitou a comandante, adicionando que outras dez pessoas consideradas “contactos de risco” foram testados “durante o dia de hoje” e uma outra “será testada” na quinta-feira.

Estes 11 contactos de risco estão “em isolamento profilático em casa”.

A pandemia da doença Covid-19, provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, já infetou mais de 38,2 milhões de pessoas e provocou a morte a mais de um milhão e 87 mil pessoas, dá conta o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

Em Portugal morreram pelo menos 2.117 pessoas dos 91.193 casos de infeção confirmados até hoje, de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

Nas últimas 24 horas o país contabilizou 2.072 infeções, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e sete óbitos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.