Tempo
|
A+ / A-

Entrevista Bola Branca

Noronha Lopes: "Não acredito que Luís Filipe Vieira queira ficar só mais quatro anos no Benfica”

13 out, 2020 - 11:20 • Carlos Dias

O candidato à presidência do Benfica, em entrevista a Bola Branca, critica Luís Filipe Vieira, elogia Manuel Vilarinho por aquilo que deu ao clube e promete um Benfica mais democrático e transparente.

A+ / A-
Noronha Lopes: "Não acredito que Luís Filipe Vieira queira ficar só mais quatro anos no Benfica”
Noronha Lopes: "Não acredito que Luís Filipe Vieira queira ficar só mais quatro anos no Benfica”

João Noronha Lopes, candidato à presidência do Benfica, não acredita que Luís Filipe Vieira queira ficar apenas mais quatro anos na liderança do clube. Em entrevista a Bola Branca, diz que “a palavra de Luís Filipe Vieira vale muito pouco neste momento”.

"Vieira já disse tudo e o seu contrário e quando ele vem dizer que só estará mais quatro anos no Benfica eu não acredito. Vieira segue um mau exemplo de um outro presidente do futebol português que representa o passado”, lembrou numa alusão a Pinto da Costa, presidente do FC Porto.

A Renascença arranca esta terça-feira as entrevistas aos candidatos à presidência do Benfica com João Noronha Lopes, que não poupa nas críticas ao atual presidente, Luís Filipe Vieira, quem considera que está a mostrar “um enorme desrespeito pelos sócios e pelas eleições” por querer “designar o seu sucessor como se houvesse um príncipe herdeiro”.

O candidato às eleições de 30 de outubro diz que “o Benfica não é uma monarquia”, e que há “muitos benfiquistas capazes de se tornarem presidente do Benfica. "Eu sou um deles”, afirma.

"Temos aqui dois projetos. Um que só fala do passado, diz que está tudo bem, que é preciso mudar pouco, que não tem ideias para o futuro. A única ideia é recuperar um conselho estratégico que já existe nos estatutos. Foge às perguntas dos sócios nas casas, recusa-se debater com outros candidatos, e para quem estar mais um mandato à frente do Benfica é um fardo, vai fazer com sacrifício", atira, criticando Vieira, antes de traçar uma comparação direta ao seu projeto.

"Temos um projeto do futuro, que reconhece o que foi bem feito no passado, mas que projeta o futuro. Tem quase 90 medidas em que aborda todas as áreas do clube, desde gestão desportiva no futebol, ecletismo, colocar os sócios no centro do clube, a ideia da maior transparência e que passa pela internacionalização da marca", explica.

Vilarinho no centro das atenções

Manuel Vilarinho, antigo presidente do Benfica, é um dos focos de controvérsia neste período eleitoral. O ex-presidente aceitou convites de Noronha Lopes e Luís Filipe Vieira para presidir a órgãos que vão ser criados depois das eleições.

Quando confrontado como sentido de voto de Vilarinho, João Noronha Lopes limita-se a remeter a questão para o próprio: “Vai ter de lhe perguntar a ele”.

Nesta entrevista recusa ainda dizer se vai ficar desiludido se o antigo presidente votar em Vieira: “Manuel Vilarinho é meu amigo, sei as conversas que tive com ele, que não vou divulgar, e continuará a merecer o meu eterno respeito como um eterno presidente do Sport Lisboa e Benfica”.

Ideias inovadoras em debate

Noronha Lopes acredita que vai vencer as eleições de dia 30, porque tem “um projeto de futuro que reconhece o que foi bem feito no passado, mas que projeta o futuro". "Temos um programa com quase 90 medidas que aborda todas as áreas do clube", reforça.

Na sua opinião é muito positivo que se “esteja a debater o Benfica, que existam muitas candidaturas, que os sócios possam comparar vários programas”, mas lamenta "que não haja um programa apresentado por Luís Filipe Vieira" e, principalmente, que o atual presidente não aceite debater os outros candidatos.

“Revela receio, medo e falta de respeito para com os verdadeiros donos do clube, os sócios”, atira.

Nesse sentido, Noronha Lopes admite boas ideias e propostas para o clube em outras listas candidatas à presidência: "Ninguém se pode apropriar de uma boa ideia e eu já vi boas ideias, tanto na lista do Rui Gomes da Silva como do 'Movimento Servir o Benfica'".

Garante ainda que vai lutar “contra a promiscuidade e a política" e, por isso, não vai permitir pessoas na sua lista ligadas à política ativa.

"Tem de haver uma maior transparência nas relações entre o Benfica e os fornecedores. Vou fazer propostas para uma alteração de estatutos onde se preveja mais democracia no clube e também uma limitação de mandatos”, diz.

Uma derrota nas eleições significará que João Noronha Lopes não voltará a candidar-se à presidência do Benfica no futuro? "É verdade. Nunca concorri a nada para ficar em segundo. Não gosto de perder nem a feijões. Estamos num momento de mudança, um presidente que não está a 'full-time' no Benfica. Comete os mesmos erros anos após anos".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Juíz Vermelho
    14 out, 2020 Catedral da Luz 13:11
    Nem ninguém com 2 dedos de testa e que o conheça de outros carnavais, acredita. Se ele ganhasse as eleições, ao fim desses 4 anos, facilmente apareceriam fantoches a falar em nome do Universo Benfiquista, a pedirem uma recandidatura, que ele "embora contrariado, mas com o sentido do dever", aceitaria. Na primeira, quem quer cai. Na segunda, cai quem quer.