Tempo
|
Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
OE 2021 tem condições para ser aprovado - 12/10/2020
OE 2021 tem condições para ser aprovado - 12/10/2020

J. Lucas Pires

OE 2021. “Intenções são boas”, mas o registo é ”aguenta, aguenta”

12 out, 2020 • Miguel Coelho , Cristina Nascimento


Comentadores da Renascença analisam proposta a que a Renascença teve acesso e ambos consideram que vai passar no crivo dos deputados.

O comentador da Renascença Jacinta Lucas Pires considera que a proposta do Orçamento de Estado a que a Renascença teve acesso revela boas intenções, mas que podia ter ido mais longe.

"Tem boas intenções, ideias interessantes, mas o registo é muito 'aguenta, aguenta'. Falta ambição de transformação", diz.

Jacinto Lucas Pires comentou ainda em particular a ideia de uma raspadinha cujas verbas serão destinadas ao Fundo de Salvaguarda do Património Cultural.

"É uma boa ideia, mas é sintomático da forma como o Governo e o poder em geral tende a olhar a cultura, é uma coisa que precisa de raspadinhas. Em vez de ser um serviço nacional de cultura, como é um Serviço Nacional de Saúde que precisa de investimento a sério, vai-se arranjar uma raspadinha para pagar o património cultural", argumenta o escritor.

Já Henrique Raposo considera uma "contradição" as propostas do Governo para o Ensino Superior que, por um lado, dá liberdade para a contratação de docentes e investigadores e, por outro, reduzem o valor das propinas. "Como é que podemos contratar grandes professores, manter uma qualidade científica e académica acima da média com propinas tão baixas", questiona.

Sobre a probabilidade do documento ser aprovado, os dois comentadores consideram que vai passar no crivo dos deputados.

"Acho que os sinais deste Orçamento é que o Governo procurou ir ao encontro de algumas reivindaçãos do PCP e do BE", diz Jacinto.

Já Henrique Raposo considera que "é um Orçamento claramente encostado à esquerda, ao PCP e ao BE". "Se não aprovam isto, não sei o que é que querem mais, têm tudo o que querem", remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.