Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Aumento de casos suspeitos obriga Hospital São João a reativar tendas de triagem

11 out, 2020 - 10:58 • Hugo Monteiro , Daniela Espírito Santo

Maior pressão dos serviços de urgência na origem da decisão, apurou a Renascença.

A+ / A-

O Hospital de São João, no Porto, reativou seis tendas para a triagem avançada de doentes com sintomas de Covid-19.

A informação foi confirmada à Renascença por fonte daquele hospital portuense.

A mesma fonte confirma que a medida se deveu a uma maior pressão dos serviços de urgência, sendo que as tendas funcionam, assim como um aliviar para estes serviços.

A iniciativa acontece numa altura em que Portugal bateu o recorde de infetados com o novo coronavírus, ao registar 1646 novos casos num só dia, este sábado.

O aumento do número de infetados tem afetado outras unidades hospitalares do país, como é o caso do Hospital Beatriz Angelo, em Loures. Esta unidade tinha atingido a capacidade máxima para receber pessoas infetadas e, sabe-se agora, duas dessas pessoas foram encaminhadas para o Hospital das Forças Armadas, em Lisboa.

Também o serviço de pneumologia do Hospital Amadora-Sintra deixou de receber novos doentes depois de terem sido detetados cinco casos de covid-19 entre doentes.

Este sábado, o presidente da Associação dos Médicos de Saúde Pública já tinha alertado que a resposta do Serviço Nacional de Saúde “não é ilimitada” e salientou que se as infeções por covid-19 continuarem a aumentar pode ser difícil prestar cuidados.

“Sendo verdade que já se esperava, que havia uma evolução do número de casos, pelo facto de se verificar não devemos ficar menos preocupados”, afirmou Ricardo Mexia à agência Lusa, assinalando que Portugal regista um “número elevado de casos” de covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+