Tempo
|
A+ / A-

Parque Nacional da Peneda-Gerês faz 50 anos. Celebrações arrancam domingo

09 out, 2020 - 17:33 • Lusa

Foi a primeira área protegida criada em Portugal, sendo a única com o estatuto de Parque Nacional, reconhecido internacionalmente com idêntica classificação.

A+ / A-

As celebrações do 50.º aniversário da criação do Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG) arrancam no domingo, assinalando a classificação única do local reconhecido como a "jóia da coroa" para os concelhos atravessados por "aquela maravilha da natureza".

"É o início da celebração da classificação e criação deste Parque Nacional, único em Portugal. Para um concelho como Terras do Bouro, com 506 anos de história ter nas suas terras um local como este é um privilégio. É a nossa joia da coroa", disse à Lusa o presidente da Câmara de Terras de Bouro, onde fica uma das principais entradas para o Parque Nacional.

Segundo o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o Parque Nacional da Peneda-Gerês foi a primeira área protegida criada em Portugal, sendo a única com o estatuto de Parque Nacional, reconhecido internacionalmente com idêntica classificação, desde a sua criação, por parte da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Isto, "devido à riqueza do seu património natural e cultural, sendo um dos últimos redutos do país onde se encontram ecossistemas no seu estado natural, com reduzida ou nula influência humana".

O autarca admitiu que a proximidade com o PNPG tem "muita influência" na vida do concelho: "Desde logo é um local de atração o que o torna também fundamental para a economia local, muito construída à volta da exploração e vivência do parque, mas também porque nos põe no mapa, sobretudo devido à biodiversidade única do Gerês", apontou.

Manuel Tibo reconheceu que o PNPG é uma "mais-valia" para o concelho mas que "também trás algumas limitações, de várias naturezas, a quem vive dentro do parque".

O autarca manifestou-se confiante de que essas limitações "vão ser revistas em breve e ultrapassadas".

O PNPG atravessa 22 freguesias, situa-se no extremo noroeste de Portugal, na zona raiana entre Minho, Trás-os-Montes e a Galiza, atravessando os distritos de Braga (Terras de Bouro), Viana do Castelo (Melgaço, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca) e Vila Real (Montalegre), tendo uma área total de 70 290 hectares

No domingo, vai ser assinado o protocolo de cogestão do PNPG, entre ICNF, o Fundo Ambiental e a ADERE-Peneda Gerês, organização que desenvolve a sua atividade nos municípios integrantes deste território - Arcos de Valdevez, Melgaço, Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro.

O modelo de cogestão desta Área Protegida integra também uma instituição de ensino superior, uma associação de defesa do ambiente e outros atores de relevância local.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+