Tempo
|
A+ / A-

Processo contra MAG. Sócios do Sporting exigem saída de Rogério Alves

09 out, 2020 - 13:35 • Rui Viegas

Reino do leão a ferro e fogo. Grupo de associados avançou com processo visando a suspensão do líder da Mesa da Assembleia Geral do clube, e seus pares, por alegado "atropelo dos estatutos". Outro 'movimento' deseja reunião magna para reintegrar Bruno de Carvalho.

A+ / A-

Rogério Alves tem "atropelado os estatutos" e deve ir embora, explica um conjunto de sócios do Sporting a Bola Branca.

Renato Lopes revela, em nome do grupo, que já está foi interposto o processo que visa a saída da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, encabeçada pelo conhecido conhecido advogado:

"Demos entrada no Tribunal Central Cível de Lisboa uma providência cautelar, ainda sem resposta, para suspender a assembleia geral [já realizada] e entregámos uma participação disciplinar contra o presidente e os restantes elementos da MAG por violação flagrante dos estatutos. É um processo contra Rogério Alves e seus pares. Porque o Sporting Clube de Portugal é uma instituição de utilidade pública, que se rege por estatutos, aprovados pelos sócios, e não por um conjunto de normas que o senhor Rogério Alves acha por bem cumprir a seu gosto."

A expectativa é que Rogério Alves seja "suspenso, suspenso", sublinha Renato Lopes. O representante do grupo de sócios exemplifica o que está em causa na atuação do líder da MAG verde e branca, com base na última reunião magna realizada.

"Impedir os sócios de falarem nas assembleias gerais, a mudança de assembleia geral de ordinária para eleitoral sem autorização de ninguém ou a identificação dos boletins de voto que permite perceber em quem os sócios votaram. Como e quando. Já ultrapassamos tudo o que é razoável", atira.

Bruno de Carvalho sim, Varandas não


Em simultâneo com esta iniciativa, um outro grupo de sócios do Sporting diz ter reunido mais de mil assinaturas para a realização de uma assembleia geral destitutiva de Frederico Varandas.

O objetivo passaria, também, pela reintegração do ex-presidente Bruno de Carvalho e do antigo "vice" Alexandre Godinho, atualmente expulsos da condição de associados do Sporting. O pedido deu entrada em Alvalade esta sexta-feira.

Nestas declarações a Bola Branca, Renato Lopes garante alinhar com as pretensões dos seus consócios. Na sua opinião, a suspensão e expulsão de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho "não foi mais do que uma forma de evitar que fossem a eleições".

Só com a reintegração dos dois ex-dirigentes se poderia acabar com o clima de "guerra civil" instalado no Sporting e, no entender deste adepto leonino, com a atual liderança "incompetente":

"É meu entendimento, e de um conjunto alargado de sócios, que todo este processo foi um atropelo. Enquanto não lhes for permitido concorrer, o Sporting não terá paz. Isto é uma guerra civil e, enquanto não se terminar com esta guerra, o clube vai continuar a definhar. Para mais, comandado por uma administração que, está à vista de toda a gente, é manifestamente incompetente e incapaz de conduzir um clube da grandeza do Sporting Clube de Portugal."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel
    09 out, 2020 Moura 14:54
    Mas qual sócios qual quê, a maioria destes indivíduos nem sócios são, cortaram-lhe as "receitas " por isso é que querem pôr a direcção na rua, voltassem a dar-lhe o dinheiro e eles calavam-se logo. Vão trabalhar malandragem !