Tempo
|
A+ / A-

Enfermeiros dos hospitais privados vão ter aumentos salariais médios de 1,5%

08 out, 2020 - 19:08 • Lusa

Aumento, com retroativos a 1 de julho, abrange cerca de 5.200 enfermeiros dos quadros dos hospitais privados.

A+ / A-

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses chegaram esta quinta-feira a acordo para atribuir aumentos salariais médios de 1,5% com retroativos a julho, disseram à Lusa ambas as partes do processo negocial.

“No âmbito da contratação coletiva, assinámos hoje um acordo com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses sobre aumentos salariais de 1,5% que se aplicam com retroativos a 1 de julho”, disse à Lusa o presidente da APHP, Óscar Gaspar.

De acordo com o líder da associação, os aumentos abrangem cerca de 5.200 enfermeiros dos quadros dos hospitais privados.

Para o dirigente do SEP Jorge Rebelo, este foi “o acordo possível”, após as negociações com a associação que, segundo disse, se mostrou “indisponível” para rever outras matérias como a redução da carga horária dos enfermeiros.

Além disso, a atualização acordada ficou aquém da proposta do SEP, de aumentos salariais de 3,5% para todos os enfermeiros, acrescentou.

Segundo explicou Jorge Rebelo, foi acordado um aumento salarial médio de 1,5%, o que significa que nos níveis mais baixos, como é o caso da remuneração de ingresso (1.230 euros), o acréscimo será superior.

Jorge Rebelo destacou ainda como “positivo” o facto de “algumas instituições" terem manifestado "abertura para negociar as horas incómodas”, ou seja, prestadas à noite, sábados, domingos e feriados.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.