Tempo
|
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Vivemos numa "Boycracia"? - Da Capa à Contracapa
Vivemos numa "Boycracia"? - Da Capa à Contracapa
Da Capa à Contracapa - ouça o programa na íntegra

​Da Capa à Contracapa

Vivemos numa "Boycracia"?

03 out, 2020


"Jobs for the boys", dança das cadeiras, boycracia, assalto ao Estado. Todos conhecemos estas expressões, que sugerem a existência de favoritismo e politização na atribuição de empregos na administração pública.

"Jobs for the boys", dança das cadeiras, boycracia, assalto ao Estado. Todos conhecemos estas expressões, que sugerem a existência de favoritismo e politização na atribuição de empregos na administração pública.

A sociedade reconhece também a necessidade de clarificar o papel das nomeações para os partidos políticos e para os processos de delegação de competências entre os partidos no governo e a administração pública.

Patrícia Silva, da Unidade de Investigação Governação, Competitividade e Políticas Públicas da Universidade de Aveiro, escreveu um novo ensaio para a Fundação Francisco Manuel dos Santos onde pretende abrir esta caixa negra. No Livro "Jobs for the Boys", enquadra a questão, identifica possíveis pontos de equilíbrio entre o controlo democrático da administração e a limitação da margem de manobra dos políticos na escolha de dirigentes.

A investigadora avança três propostas para a discussão sobre estratégias que possam conter os danos da politização dos serviços públicos. Porque é urgente limitar, melhorar e exigir.

No programa "Da Capa à Contracapa" desta semana vamos conhecer melhor o livro com a autora e, para o comentar, convidámos a investigadora do ICS Susana Coroado, nova presidente da Transparência e Integridade (TI-PT), capítulo português da rede global de ONG anti-corrupção Transparency International.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.