Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

​Portugal tem quatro testes rápidos em fase de aprovação​

30 set, 2020 - 12:09 • Beatriz Lopes , Cristina Nascimento

Graça Freitas garantiu, no Parlamento, que estes testes cumprem critérios de sensibilidade aceitáveis.

A+ / A-

Veja também:


A diretora-Geral da Saúde anunciou, esta quarta-feira, que Portugal tem quatro testes rápidos em fase de licenciamento e aprovação.

"Neste momento, o Infarmed tem quatro testes que estão em fase de licenciamento e de aprovação, que cumprem critérios de sensibilidade e especificidade de acordo com os peritos que são aceitáveis", explicou Graça Freitas.

Nesta audição perante os deputados, a responsável pela Direção-Geral da Saúde lembrou que "a tecnologia evoluiu muito e passamos da primeira geração de testes rápidos que tinham uma má sensibilidade e uma má especificidade para outros testes".

Disse ainda acreditar que "estes testes ainda vão continuar a evoluir, a tecnologia vai ter novas descobertas, de certeza".

Graça Freitas, que falava na Comissão Parlamentar de Saúde, numa audição em conjunto com a Comissão de Trabalho e Segurança Social, revelou que há 302 surtos ativos até terça-feira, 123 são na Região Norte, 33 no Centro, 106 em Lisboa e Vale do Tejo, 7 no Alentejo e 23 no Algarve.

A responsável, que foi ouvida no âmbito de um requerimento do CDS-PP sobre os vários surtos que, desde o início da pandemia, se vêm registando em lares, cujo caso mais grave ocorreu numa estrutura de Reguengos de Monsaraz, disse que os dados disponíveis apontam para 51 surtos ativos em lares em todo o país.

Em Portugal, morreram 1.963 pessoas dos 74.717 casos de infeção confirmados, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo o mais recente balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.