Tempo
|
A+ / A-

​Governo garante que números atestam “esforço de recuperação” da assistência não-Covid

30 set, 2020 - 15:12 • Cristina Nascimento

Ministra da Saúde garante que esforço de recuperação é visível quer a nível de consultas nos cuidados primários, quer nas consultas hospitalares e ainda nas intervenções cirúrgicas.

A+ / A-

Veja também:


A ministra da Saúde, Marta Temido, garante os profissionais de saúde estão a empreender um “esforço de recuperação” da assistência não-Covid e que os mais recentes números indiciam essa tendência.

Na habitual conferência de imprensa para dar conta de evolução da pandemia em Portugal, a governante refere que essa recuperação está a ser feita quer a nível de consultas nos cuidados primários, quer nas consultas hospitalares e ainda nas intervenções cirúrgicas.

De acordo com os números agora divulgados, em agosto, realizaram-se menos 920 mil consultas nos cuidados de saúde primários, o que representa menos 4,4% relativamente ao período homólogo. Marta Temido explica que este indicador representa uma tendência de recuperação dado que, em maio de 2020, a comparação face ao maio de 2019 era de menos 10,5% de consultas, em junho menos 7,2% e em julho menos 5,9%.

Já no que toca às consultas hospitalares, os números referem que em agosto realizaram-se menos um milhão do que no mesmo período de 2019, o que representa menos 12,6%. Em maio esse valor foi de menos 16,8%, em junho menos 14,3% e em julho menos 13,6%.

Sobre as cirurgias, as estatísticas apontam para menos 100 mil em agosto, ou seja, menos 22,2%, um valor que em maio era de menos 28,8%, em junho menos 26,9% e em julho menos 24,2%.

A ministra Marta Temido apresenta estes números depois do líder do PSD Rui Rio ter considerado que têm existido “falhas gravíssimas” na resposta aos doentes não Covid

Temido disse ainda ter a expectativa que, se a pandemia se mantiver estabilizada, estes indicadores possam ser melhorados, mas reconhece que vai ser difícil chegar aos números de 2019, um ano que considerou "exemplar" no que toca à assistência médica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.