Tempo
|
A+ / A-

Notícia Renascença

Matheus Reis recusou jogar com o V. Guimarães. "Imperdoável", diz presidente do Rio Ave

29 set, 2020 - 12:45 • Carlos Dias (entrevista), Sílvio Vieira (texto)

O Rio Ave estava a negociar a transferência do jogador brasileiro, pretendido pelo Olympiacos. O FC Porto manifestou interesse, mas desistiu da contratação de Matheus Reis. António Silva Campos confirma a falta do atleta, em exclusivo à Renascença.

A+ / A-

Matheus Reis recusou jogar pelo Rio Ave frente ao Vitória de Guimarães, no domingo, numa atitude interpretada como uma posição para forçar a saída do clube. O presidente do Rio Ave, António Silva Campos, confirma a falta do jogador e, em exclusivo à Renascença, classifica o ato como "imperdoável".

"Ele recusou jogar no dia do jogo. Nós não podemos aceitar estas atitudes. Foi uma surpresa muito grande. Estávamos a negociar o jogador com um clube e ele queria que fosse mais rápido. Eu aconselhei-lhe calma, explicando que estávamos a negociar e que tínhamos de chegar a acordo", revela Silva Campos, sem confirmar o Olympiacos como o clube interessado na contratação do jogador, depois de o FC Porto ter desistido, após um primeiro contacto.

"Neste momento, não quero falar em terceiros, porque há um processo disciplinar em curso e depois vamos tomar as medidas necessárias. Ele entendeu tomar esta atitude. Não sei se foi a mando de alguém, ou não. Temos de analisar a situação, porque o que ele fez foi muito grave, foi uma falta de respeito por este clube que tanto lhe deu. Neste momento, ele está suspenso", confirma.

Rio Ave "não pode ceder a chantagens"

Silva Campos esclarece que ele e outros dirigentes do Rio Ave tentaram demover Matheus Reis, explicando-lhe que a atitude teria "consequências muito graves", mas o lateral-esquerdo não retrocedeu. Foi transmitido ao jogador que o clube "não pode ceder a chantagens".

"Se cedermos neste caso, há outros jogadores, que quando receberem propostas de empresários e de outros clubes, olham para este exemplo e podem fazer a mesma coisa", observa, nesta entrevista a Bola Branca. O presidente foi ao balneário falar com grupo, "triste por isto ter acontecido", e deixou um alerta a todo o plantel, que, sublinha, "repudia esta atitude".

Não é a primeira vez que Matheus Reis, que vai na terceira época em Vila do Conde, tem uma falta disciplinar. "Já há dois anos abandonou o grupo sem dar satisfações a ninguém. Foi o 19.º jogador quando fomos jogar com o Moreirense. Quando demos conta ele tinha chamado um táxi e ido embora. Isto não é admissível", reforça o presidente do Rio Ave.

"Bofetada de luva branca" no jogo com o Milan

A equipa tem jogo marcado para quinta-feira, com o AC Milan, para o "play-off" da Liga Europa, e António Silva Campos espera que este episódio não condicione os jogadores e que, inclusivamente, os possa motivar.

"Vamos dar uma 'bofetada de luva branca' aos que faltam ao respeito ao clube, à direção, aos colegas e a todo o 'staff'. É uma falta de respeito imperdoável", conclui.

O dirigente máximo do Rio Ave confirmou, há uma semana, uma abordagem do FC Porto por Matheus Reis, mas os dragões desistiram da contratação do lateral que está nos planos do Olympiacos, do treinador português Pedro Martins.

Formado no São Paulo, o jogador brasileiro chegou a Portugal em 2017/18 para representar o Moreirense. Está no Rio Ave desde 2018/19. Esta época, foi utilizado, por Mário Silva, nos dois jogos das pré-eliminatórias da Liga Europa, frente a Borac e Besiktas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.