Tempo
|
A+ / A-

DGS admite quarentena mais curta para trabalhadores e alunos

25 set, 2020 - 15:58 • Redação

A questão dos dias de quarentena para casos suspeitos de Covid-19 está a ser estudada e trabalhada à luz dos novos dados que vão surgindo sobre a doença, afirma Graça Freitas.

A+ / A-

Veja também:


A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, admite a possibilidade de uma quarentena mais curta (inferior a 14 dias) para trabalhadores e alunos, acompanhada de rigorosas medidas de segurança.

A questão dos dias de quarentena para casos suspeitos de Covid-19 está a ser estudada e trabalhada à luz dos novos dados que vão surgindo sobre a doença, adiantou a responsável na conferência de imprensa desta sexta-feira.

"Pessoas que tenham necessidade de voltar à sua vida laboral, escolar ou social poderão ter uma quarentena mais encurtada, sabendo que até ao 14.º dia devem assumir o compromisso de observar estritas medidas de segurança", declarou Graça Freitas.

Para a população que não trabalha ou não vai à escola, "se calhar é mais seguro fazer os 14 dias", admitiu a diretora-geral da Saúde.

"Nós não temos a certeza absoluta, nem aqui nem em França nem em nenhum país do mundo, à data, com o que se sabe da doença, que ainda não há alguma probabilidade de transmissão", disse Graça Freitas.

O governo espanhol e as autoridades regionais vão encurtar o tempo de quarentena para quem contactou com um caso positivo de Covid-19 de 14 para 10 dias, foi anunciado esta semana.

Foram registados mais 899 casos e cinco mortes por Covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico divulgado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal conta agora com 1.936 óbitos provocados pelo novo coronavírus e um total de 72.055 infeções confirmadas desde a chegada da pandemia ao país, no início de março.

MAPA DA COVID-19

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.