Entrevista à Renascença

Francisco George esclarece. Brigadas para lares com médicos tarefeiros e testes rápidos podem ser já usados

25 set, 2020 - 07:26 • Anabela Góis (entrevista) , Sofia Freitas Moreira (gravação e edição)

As brigadas de intervenção rápida para conter e estabilizar surtos de Covid-19 em lares de terceira idade vão, afinal, trabalhar com médicos tarefeiros, que serão contratados em caso de necessidade. Em entrevista à Renascença, o presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George, que está a coordenar a iniciativa, diz que é uma boa solução, tendo em conta que não há médicos. Nos últimos dias, tem-se falado muito dos testes de antigéneo de leitura rápida, que a Cruz Vermelha colocou ao dispor do Governo. Francisco George garante que não há qualquer polémica com o Ministério da Saúde e que está em sintonia com os peritos. Em causa estão 500 mil testes de deteção da Covid-19 que, segundo o presidente da Cruz Vermelha, podem fazer diferença no controlo de um surto, uma vez que os resultados são conhecidos em cerca de meia hora.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.