Tempo
|
A+ / A-

Google Maps promete ajudar a evitar surtos de Covid-19

24 set, 2020 - 18:22 • Lusa

Google diz ser capaz de localizar e mapear áreas de contágio em 122 países, através de uma escala de cores, com base em dados da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, da OMS e de outras fontes de referência.

A+ / A-

Veja também:


O Google Maps, ‘website’ e aplicação de cartografia da gigante norte-americana Google, vai poder revelar, nos mapas consultados por utilizadores, as áreas de contágio por Covid-19.

“Ao abrir o Google Maps, clique na guia à direita em ‘informações da Covid-19’ e pode ver a taxa por cada 100 mil habitantes de casos de Covid-19 numa média de sete dias na área do mapas que está a ver”, anunciou a Google esta quinta-feira numa publicação no seu blogue oficial.

No mapa de um bairro ou destino que visita, o internauta pode também ver se os casos tendem a aumentar nessa zona em particular.

Um código de cores identificará a densidade de casos, variando de cinza (menos de um caso) a vermelho (entre 30 a 40 casos), depois vermelho escuro (mais de 40 casos por cada 10 mil habitantes), com os valores intermédios a amarelo e laranja.

A Google, que afirma ser capaz de oferecer essas informações cartográficas em 122 países, indica que recolhe a informação através dos Estados Unidos, particularmente da Universidade Johns Hopkins, que é a referência para a contagem de casos de infeção, extraindo ainda informações do "New York Times" e da Wikipedia.

Os dados vão também ser baseados na atualização da situação de saúde estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), autoridades públicas e instituições locais.

“Mais de mil milhões de pessoas recorrem ao Google Maps para obter informações essenciais sobre como ir de um lugar para outro, especialmente durante a pandemia, quando as preocupações com a saúde estão em primeiro plano”, escreveu Sujoy Banerjee, diretor de produto do Google Maps.

“Portanto, esta semana vamos apresentar um novo recurso para o Maps, uma ferramenta que revela informações vitais sobre os casos Covid-19 numa área, para que possam tomar decisões informadas sobre onde desejam ir e o que fazer”, acrescentou o responsável.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 978.448 mortos e quase 32 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.931 pessoas dos 71.156 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.