Tempo
|
A+ / A-

Montepio pode vir a despedir 800 pessoas

22 set, 2020 - 06:55 • Marta Grosso

Banco prepara-se para pedir o estatuto de empresa em reestruturação, o que lhe permitirá reduzir postos de trabalho.

A+ / A-

O Montepio poderá vir a dispensar 20% da sua força laboral – ou seja, 800 trabalhadores – no âmbito de um plano de “ajuste”. Para tal, prepara-se para pedir ao Governo o estatuto de empresa em reestruturação.

A notícia é avançada pelo jornal online ECO, segundo o qual as rescisões de contrato terão um custo estimado de 80 milhões de euros.

O estatuto de empresa em reestruturação permite que, face a uma situação económica difícil, essa empresa reduza o número de trabalhadores.

Segundo o ECO, o Banco de Portugal já terá sido informado sobre o plano, mas, do lado do Montepio, a única afirmação é que o banco que “está a ajustar processos e a estudar a sua dimensão, tal como foi partilhado com os colaboradores e as respetivas estruturas”.

Nos primeiros seis meses deste ano, o banco teve prejuízos de 51,3 milhões de euros, que comparam com os lucros de 3,6 milhões de euros do mesmo período de 2019, divulgou a instituição.

A instituição bancária justificou os prejuízos com as imparidades que constituiu (109,4 milhões de euros) para fazer face a perdas de crédito decorrentes da crise pandémica.

Em junho, ficou-se a saber que o banco iria reduzir a rede de agências – menos 31 consideradas “redundantes” geograficamente – no âmbito de um processo de “ajustamento a um novo ciclo”.

O banco Montepio contava, no final de junho, com perto de 3.560 funcionários. A comissão de trabalhadores reúne-se nesta quarta-feira com a comissão executiva.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.