Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Diocese de Viana pede aos fiéis que participem nas exéquias de D. Anacleto pela TV, rádio e digital

21 set, 2020 - 18:49 • Henrique Cunha

Por causa da Covid-19, lembra Monsenhor Sebastião Pires Ferreira, "o espaço interior da Sé, com a demarcação exigida por lei, será reduzido” nas cerimónias fúnebres de D. Anacleto Oliveira, a partir das 8h de amanhã.

A+ / A-

A diocese de Viana do Castelo apelou esta segunda-feira aos fiéis que participem amanhã nas exéquias de D. Anacleto Oliveira, bispo diocesano que morreu na semana passada, através de meios digitais, por forma a evitar ajuntamentos na Sé de Viana durante as cerimónias fúnebres.

Num comunicado enviado à Renascença, o administrador da diocese de Viana do Castelo, Monsenhor Sebastião Pires Ferreira, lembra que "infelizmente continuamos confinados por causa da Covid-19 e, por isso, sujeitos e obedientes à legislação estatal".

Por este motivo, indica, "o espaço interior da Sé, com a demarcação exigida por lei, será reduzido" e está disponibilizado para "os Senhores Bispos, Senhores Padres, Excelentíssimas Autoridades, Diáconos, Acólitos e Seminaristas, para o Grupo Coral e Orquestra e, também, para os familiares de D. Anacleto e outras pessoas relacionadas com o protocolo”, esclarece o responsável.

O apelo do Monsenhor Sebastião Pires Ferreira começa com uma “saudação amiga matizada com as mútuas condolências que nos advêm do íntimo do coração pelo falecimento do nosso querido Pastor, D. Anacleto de Oliveira, Bispo desta Diocese”.

Depois, Monsenhor Sebastião pede que “na hora da Concelebração Eucarística”, os fiéis “liguem as redes de comunicação social, com o fim de acompanhar da melhor forma possível as cerimónias fúnebres, que serão transmitidas, em directo, pela Rádio Renascença, pelo Facebook da Diocese e da Viana TV”.

A fim de respeitar as regras impostas pela Direção Geral da Saúde (DGS) na atual situação de contingência, o acolhimento dos restos mortais, esta noite, na Sé de Viana do Castelo, vai ter caráter reservado, sem quaisquer celebrações públicas.

Amanhã, a catedral abre portas às 08h00 para a oração livre dos fiéis, com entradas controladas e condicionadas ao espaço disponível. Às 11h30, a Sé encerra para desinfeção.

A missa de exéquias, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, tem início marcado para as 15h.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.