Tempo
|
A+ / A-

Covid-19 por concelho. Há cinco novas entradas na lista e Lisboa ultrapassa seis mil casos

21 set, 2020 - 14:44 • Joana Gonçalves

Aguiar da Beira, Campo Maior, Meda, Vila Velha de Ródão e Vila Viçosa juntam-se à lista da DGS. Os municípios de Lisboa, Sintra, Amadora, Cascais, Loures e Guimarães registam o maior aumento de novos casos nos últimos setes dias. Apenas 31 concelhos permanecem livres de Covid-19, em Portugal.

A+ / A-

Veja também:


O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta segunda-feira, revela que Lisboa (+448), Sintra (+325), Amadora (+173), Cascais (+156), Loures (+154) e Guimarães (+142) são os municípios com maior aumento de infeções pelo novo coronavírus, nos últimos sete dias.

De acordo com o mesmo documento, Lisboa ultrapassa os seis mil infetados e Sintra supera a barreira dos cinco mil casos. Do total de concelhos, 207, isto 67%, registam, pelo menos, mais um caso confirmado de Covid-19, nos últimos sete dias.

Aguiar da Beira (14), Campo Maior (10), Meda (3), Vila Velha de Ródão (9) e Vila Viçosa (4) juntam-se à lista da DGS.

Há, neste momento, 277 concelhos portugueses com, pelo menos, três casos confirmados de Covid-19, o que representa 90% do total de municípios do país.

Bombarral, Vila Real, Castelo de Paiva,Aljustrel e Mértola registam um decréscimo no número de casos confirmados.

A DGS optou por suspender a atualização diária da caracterização demográfica dos casos confirmados, que passou a ser alvo de uma revisão semanal, publicada à segunda-feira.

Os dados divulgados, dão conta de apenas 90% do total de casos, registado em Portugal. À Renascença, a Direção Geral da Saúde adianta que "existem sempre acertos nos dados por concelhos, quer por atraso de notificação, quer por relocalização do utente em área de residência".

O diretor do serviço de doenças infecciosas do Hospital Curry Cabral tinha já admitido, também em entrevista à Renascença, atrasos no registo dos dados no SINAVE.

Sabendo que a contabilização não será relativa ao total dos casos – nem acompanhará em simultâneo os dados reportados pelas autarquias - a DGS optou por disponibilizar apenas dados do SINAVE, sistema nacional de vigilância epidemiológica

Lisboa continua a ocupar o topo da tabela com um total de 6.050 infetados com o novo coronavírus, seguido de Sintra (5.102), Amadora (2.914) e Loures (2.913).

O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) aponta para mais oito mortos e 623 infetados com Covid-19.

No total, Portugal tem neste momento 21.544 casos ativos da doença (mais 475 do que nas últimas 24 horas). É o maior número de casos ativos dos últimos quatro meses, altura em que a DGS adotou uma mudança de critério na definição dos recuperados.

Desde dia 24 de maio, é tido como curado qualquer doente infetado com Covid-19 que, estando em isolamento em casa e não apresentando sintomas, realize um teste negativo ao fim de 14 dias da infeção – dispensado da realização de um segundo teste, que era obrigatória até então.

O relatório desta segunda-feira aponta ainda para 518 pessoas internadas em unidades hospitalares, mais sete do que ontem, das quais 61 estão nos cuidados intensivos (menos uma).

Face ao consistente aumento de casos, a Direção-Geral da Saúde vai divulgar uma orientação a recomendar a utilização de máscaras ao ar livre em sítios movimentados, em que é mais difícil manter a distância física, anunciou esta segunda-feira Graça Freitas.

"Muito brevemente, e depois de termos consultado os peritos nacionais e internacionais, vai sair uma orientação no sentido de que, quando as pessoas no exterior não conseguirem garantir para elas e para os outros a distância física recomendada, poderão e deverão usar máscara", disse a diretora-geral da Saúde, em conferência de imprensa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.