Tempo
|
A+ / A-

​Aberto inquérito disciplinar a 11 contabilistas por falsearem declarações

21 set, 2020 - 09:49 • André Rodrigues , Cristina Nascimento

Ordem dos Contabilistas Certificados vai investigar declarações falsas sobre rendimentos das empresas para que os clientes possam ter acesso a linhas de crédito Covid. Queixas já foram reencaminhadas para o Ministério Público.

A+ / A-

A Ordem dos Contabilistas Certificados abriu um inquérito disciplinar a 11 contabilistas, suspeitos de falsificar declarações sobre faturação de empresas de forma a que os clientes possam concorrer a linhas de crédito.

A informação é avançada à Renascença pela bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados. “Enviámos 11 processos para o nosso conselho jurisdicional, na parte disciplinar”, revela Paula Franco.

Adianta que se trata de contabilistas “que foram substituídos por outros que cederam a essa pressão, quando o contabilista original não cedia”.

“Se existirem realmente provas dessas situações serão aplicadas sanções aos contabilistas que o fizeram”, assegura a bastonária.

Em causa está o acesso a linhas de crédito para empresas cujo rendimento foi afetado pela pandemia. Os contabilistas estarão a ser pressionados pelos clientes, alegadamente aconselhados pela banca, para passarem declarações que atestem a quebra de rendimentos.

“Estamos a falar de uma coisa ainda mais grave. Todas estas linhas Covid são com dinheiros públicos, isto é, as garantias são do Estado. Somos todos nós que, se estes contribuintes não cumprirem as suas obrigações, vamos pagar”, acrescenta.

Paula Franco diz ainda que as queixas já foram também remetidas para o Ministério Público, no final da semana passada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.