Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

ARS Norte deve mais de 100 mil euros aos bombeiros do distrito do Porto

19 set, 2020 - 13:48 • Lusa

A federação distrital avança que já há corpos de bombeiros com vencimentos em atraso. As verbas da ARS, que remeteu uma resposta para segunda-feira, "estão atrasadas desde junho".

A+ / A-

A Administração Regional de Saúde (ARS) Norte deve mais de 100 mil euros às corporações de bombeiros do distrito do Porto, resultado do não pagamento das comparticipações desde junho, acusou o presidente da federação distrital de bombeiros, este sábado.

"Desde há muito que prestamos serviço à ARS e aos hospitais no transporte de doentes. Os hospitais, tendo autonomia, pagam por eles, enquanto os restantes são pagos pela ARS, sendo que o contratualizado foi o pagamento a 60 dias", disse José Miranda à agência Lusa.

Segundo o presidente da Federação de Bombeiros do Distrito do Porto, "neste momento, em cima dos 60 dias contratualizados, estamos com quase mais de um mês de atraso. Ora, estando-se a viver um período de pandemia, em que os gastos são muito superiores, devido a termos de adquirir equipamento de proteção individual, as associações estão com problemas graves".

"Há corpos de bombeiros que já têm vencimentos em atraso", observou o presidente da federação distrital, revelando que as verbas da ARS "estão atrasadas desde junho" e que o valor em atraso "supera os 100 mil euros".

Este problema, identificou José Miranda, "abrange cerca de 40 corporações do distrito do Porto" e a única resposta da ARS ao pedido de esclarecimento foi de que "estavam a desenvolver esforços para proceder ao pagamento".

José Miranda disse à Lusa "estranhar a situação", porque "nas outras ARS as situações estão em dia" e revelou ter "dado conhecimento da situação ao presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil, que é quem representa o Governo no distrito, para tentar interceder junto de quem de direito".

A Lusa tentou obter reação da ARS Norte a estas acusações da federação de bombeiros, mas aquela entidade remeteu uma resposta para segunda-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.