|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19 no Algarve

"Não cumpriram regras". 67 jovens belgas infetados após férias em Albufeira

16 set, 2020 - 15:31 • Lusa

Ao todo, foram 130 os jovens belgas que passaram primeira quinzena de setembro de férias em Albufeira, com o operador turístico Summer Bash. DGS diz que "organizadores da viagem já admitiram que os jovens não cumpriram as regras". Autoridades de saúde do Algarve vão fazer análise retrospetiva.

A+ / A-

Veja também:


Pelo menos 67 jovens belgas, com entre 18 e 20 anos de idade, estão infetados com Covid-19 após terem regressado de férias em Albufeira no início do mês, estando a cumprir isolamento domiciliário na Bélgica, anunciaram as autoridades esta quarta-feira.

A notícia foi dada pelo governador da província da Flandres Ocidental, Carl Decaluwé, que citado pela imprensa belga refere que os jovens foram infetados em férias no Algarve entre os dias 02 e 12 de setembro.

Cerca de metade destes 67 jovens infetados – que têm entre 18 e 20 anos e estão em isolamento domiciliário – participaram numa estadia organizada pelo operador turístico belga Summer Bash, especializado em viagens para jovens de 16-24 anos, enquanto os restantes alugaram uma casa privada para as férias.

De acordo com Carl Decaluwé, “o número de jovens infetados deverá aumentar”, já que as autoridades belgas ainda não conseguiram rastrear todos os contactos dos que testaram positivo para a Covid-19.

Ao todo, foram 130 os jovens belgas que passaram férias na primeira quinzena em Portugal com o operador turístico Summer Bash, tendo a empresa recomendado a realização de testes e de quarentena.

A maioria destes jovens são das cidades de Waregem, Tielt e Roeselare, na Flandres Ocidental, a parte neerlandesa da Bélgica.

“Suspeito que não seguiram totalmente as medidas” restritivas, disse por seu turno o presidente da câmara municipal de Waregem, Kurt Vanryckeghem, também citado pela imprensa.

À semelhança da região metropolitana de Lisboa e do norte de Portugal, o Algarve integra a classificação de “zona laranja” no sistema de semáforos do Ministério dos Negócios Estrangeiros belga, o que significa que o rastreio e a quarentena são apenas recomendados no regresso à Bélgica.

Aos jornalistas esta quarta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse que as autoridades de saúde do Algarve vão analisar retrospetivamente os eventos envolvendo o grupo de belgas para tentar detetar o caso índice.

"Não eram pessoas isoladas, partilhavam alojamento, viviam em situação gregária", indicou Graça Freitas, O surto "pode não ter tido origem em Portugal", adiantou.

"As investigações retrospetivas são difíceis até porque as pessoas já não estão cá. Os organizadores da viagem já admitiram que os jovens não cumpriram as regras que deviam", disse a responsável da DGS. "As pessoas podem fazer a sua vida, férias, mas as precauções têm de ser observadas. Na Bélgica houve reconhecimento de que não teriam sido cumpridas. São dezenas de jovens infetados."

As autoridades belgas anunciaram que registaram, em média, 779 contágios por dia na semana de 6 a 12 de setembro, um aumento de 52% em relação ao período de sete dias anterior, estando previsto para hoje novo balanço. No total, o país já registou 94.795 casos de contágio e 9.930 mortes por Covid-19 desde o inicio da pandemia.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 936.095 mortos e mais de 29,6 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.878 pessoas dos 65.626 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

[atualizado às 18h20]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Azarecos!
    16 set, 2020 Cá 18:31
    Comportamentos de risco e julgar que o coronavirus é "doença de velhos" . Só têm o que merecem.
  • Tanto procuraram...
    16 set, 2020 ... que encontraram 17:08
    É o preço que pagam por andar por aí à procura de festas selvagens, a roçarem-se uns nos outros, sempre de copo na mão, a dançar, a beber, a marmelar, como se não houvesse Pandemia. Desde que não transmitam a doença a outros que cumprem as regras, com vontade ou sem ela, a única coisa que há a dizer é que tanto procuraram, que encontraram.