|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Falta dominar 10% do incêndio de Proença-a-Nova

15 set, 2020 - 21:21 • Lusa

A atualização da Proteção Civil foi feita esta terça-feira às 20h00.

A+ / A-

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) confirma que está dominado 90% do incêndio de Proença-a-Nova, que lavra desde domingo e alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco.

"Todo o perímetro do incêndio está estabilizado, porém existe uma preocupação em 10% do território", relatou o comandante de agrupamento distrital Pedro Nunes, numa conferência de imprensa, cerca das 20h00, no posto de comando instalado em Sobreira Formosa, no concelho de Proença-a-Nova.

Segundo Pedro Nunes, os 10% correspondem a partes do perímetro, que é superior a 60 quilómetros, "que estão ainda muito quentes e que tiveram atividade de fogo durante a tarde".

O comandante precisou que se trata de áreas na zona norte do concelho de Oleiros, que vai desde a localidade de Pisoria a Vilar Barroso.

"São partes que não estão consolidadas e, por isso, ainda não é possível dar o incêndio por dominado", sublinhou aos jornalistas.

Por volta das 17h50, a página de internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil dava o incêndio como "em resolução", no entanto, cerca das 19h30 já estava novamente "em curso", patamar no qual se mantém às 21h00.

Salientando que não existe fogo ativo, Pedro Nunes disse que os trabalhos decorrem favoravelmente e que as condições climáticas da noite se avizinham "favoráveis" para as operações delineadas.

O dispositivo no terreno, que envolve cerca de um milhar de operacionais e 400 veículos, apoiados por 15 meios aéreos, vai manter-se até ao final de quarta-feira, garantiu o comandante da ANEPC.

Durante esta terça-feira também não foi necessário retirar pessoas das suas localidades e as cerca de 40 que na terça-feira foram retiradas já voltaram a casa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.