|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19. Encerrar fronteiras com Espanha depende de decisão conjunta

15 set, 2020 - 20:15 • Lusa

Ministro dos Negócios Estrangeiros diz que vai analisar essa e outras questões com homóloga espanhola na sexta-feira.

A+ / A-

Veja também:


O ministro dos Negócios Estrangeiros português afirmou esta terça-feira que um encerramento das fronteiras com Espanha devido à Covid-19 é sempre uma decisão conjunta, adiantando que analisará essa e outras questões sexta-feira com a sua homóloga espanhola.

“Temos trabalhado de forma muito coordenada com as autoridades espanholas”, disse à Lusa o chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, assinalando que, quando esta esteve encerrada ao trânsito normal de pessoas, foi “por decisão conjunta dos dois Estados”.

Questionado sobre a necessidade de uma nova limitação à mobilidade entre os dois países, depois de as autoridades espanholas terem anunciado, na segunda-feira, 27.404 novos casos desde sexta-feira, Augusto Santos Silva sublinhou que as decisões recaem sobre os ministros da Administração Interna de Portugal e do Interior de Espanha e que o assunto será debatido nas próximas semanas.

“Eu terei o prazer de receber a minha colega espanhola [Arancha González Laya] na próxima sexta-feira, dia 18. Teremos depois a cimeira bilateral entre os dois países, no dia 02 de outubro, e, naturalmente, essas são oportunidades para nós trocarmos informação sobre o modo como estamos a acompanhar a evolução da pandemia e das medidas que todos estamos a tomar para combatê-la”, concluiu o ministro dos Negócios Estrangeiros português.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português falou à margem da tomada de posse de Cristina Moniz para o cargo de vice-presidente do Conselho Diretivo do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, uma cerimónia realizada esta tarde, na sede do instituto.

Durante o dia de hoje, Espanha anunciou 9.437 novos casos de Covid-19 no seu território, ultrapassando os 600.000 casos desde o início da pandemia. Da mesma forma, as autoridades contabilizaram 156 novas mortes com a doença, elevando o número de óbitos para 30.004.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 929.391 mortos e mais de 29,3 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.875 pessoas dos 65.021 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    16 set, 2020 ILHAVO 12:03
    Alguém acredita que(, se a situação da COVID-19 fosse em Portugal muito pior que a de Espanha,) a decisão do fecho de fronteiras será (seria) sempre conjunta? E as dos transvases dos rios peninsulares, e a da extensão da vida da central de Almaraz, e .... também (seriam e) foram)??? Deixem-me RIR! [E a da "lista segura" do Reino Unido ... foi decidida ao abrigo da ... Aliança Anglo-Lusa?]