Tempo
|
A+ / A-

Audição parlamentar

Dívidas de Luís Filipe Vieira ao Novo Banco estão a ser auditadas

15 set, 2020 - 18:06 • Sandra Afonso

Presidente do Novo Banco anunciou no Parlamento que o Fundo de Resolução pediu uma auditoria específica à Promovalor, grupo económico ligado ao presidente do Benfica.

A+ / A-

As dívidas do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, ao Novo Banco estão a ser auditadas, revelou esta terça-feira no Parlamento o presidente da instituição bancária.

Sem avançar nomes, António Ramalho anunciou que o Fundo de Resolução pediu uma auditoria específica à Promovalor, grupo económico ligado ao presidente do Benfica.

A questão foi levantada na audição parlamentar de António Ramalho pela deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua.

O presidente do Novo Banco garantiu que não houve aumento de exposição do grupo. Aguarda-se, neste momento, pelo resultado da análise às contas

Segundo o "Correio da Manhã", entre agosto de 2014 e dezembro de 2018, o Novo Banco terá perdido mais de 225 milhões de euros com o grupo económico de Luís Filipe Vieira, que será um dos maiores devedores do antigo BES. Segundo a auditoria da Deloitte, a dívida total da Promovalor ao Novo Banco ultrapassa os 760 milhões de euros.

Carteira de imóveis do BES "velha, má e ilegal"

Face às questões do Bloco de Esquerda, António Ramalho disse lamentar que o Novo Banco seja olhado como um "jogo político".

"Há uma coisa que me custa: é que o Novo Banco não é um jogo político para ser jogado, não é um Ás deste jogo, é pura e simplesmente uma instituição que pode ser e que deve ser avaliada, em que o Fundo de Resolução e a administração do Novo Banco devem ser verificadas e percebidas, mas que não me parece que possa, pura e simplesmente, ser utilizada desta maneira."

Na mesma audição na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, António Ramalho defendeu ainda que herdou do BES uma carteira de imobiliário "má, velha e ilegal".

"O banco tinha uma carteira que herdou de ativos imobiliários que era má, era velha e era ilegal. Era má, porque só 14% desses ativos eram residenciais, 43% eram terrenos e 43% eram fábricas. Era também velho, porque 35% destes ativos tinham mais de cinco anos, mais de dois terços provinham do BES e tínhamos mais de 100 imóveis com mais de 20 anos dentro do banco. E era ilegal, porque os bancos são obrigados a vender os ativos não afetos à exploração no prazo de dois anos."

Provar que o negócio foi "justo e adequado"

Sobre a venda de imóveis alegadamente a "preço de saldo", como noticiado no final de julho pelo jornal "Público", António Ramalho anunciou que já chegou o parecer que o Novo Banco pediu a uma consulta independente internacional, com o objetivo de, nas suas palavras, esclarecer que o negócio foi justo e adequado.

"Tenho a certeza que toda a gente terá de reconhecer que o processo é adequado, que o preço foi o preço de mercado e que a estratégia, do ponto de vista do desinvestimento, era a única estratégia possível. Não me parece que isto seja mais do que um estranho caso de estudo, que foi lançado com esta maravilhosa capa que dizia que o Novo Banco vendeu 13 mil imóveis a preço de saldo a fundo das ilhas Caimão. Sabemos que não. Sabemos que foram vendidas a sociedades portuguesas detidas por uma empresa luxemburguesa chamada Encourage. E não eram 13 mil, eram oito mil”.

Neste ponto, o gestor defende que o Novo Banco não foi o único a vender imóveis em pacote, com prejuízo, referindo que outros bancos fizeram o mesmo, até porque não tinha 20 anos para vender os ativos um a um.

António Ramalho garante que nenhuma decisão é tomada sem que o interesse público seja defendido. O presidente do banco sublinha ainda que, em qualquer momento, o Fundo de Resolução pode afastar o seu conselho de administração.

O Ministério Público disse recentemente que não encontrou provas que sustentem que os ativos do Novo Banco tenham sido vendidos ao desbarato. A investigação foi desencadeada na sequência de uma carta enviada pelo primeiro-ministro, António Costa, à procuradora geral da República, pedindo que as operações fossem analisadas após uma denúncia de Rui Rio, líder do PSD.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 15 set, 2020 21:46
    VELHA, com CINCO ANOS. Afinal em que País estamos. Senhor Presidente do Novo Banco, tenho um Rapaz que é Enólogo. Bom Rapaz. Estudioso, humilde e inteligente. Todos na Universidade onde se formou gostam dele. Os Pais já faleceram. O Pai era do Sirilanca. A Mãe era Angolana de Moçâmedes. Nasceu em Itália e reside cá com sua Irmã, também estudante em fase de mestrado em Engenharia Informática. O Rapaz já estagiou em algumas quintas e o grande sonho é comprar uma vinha. Não é VELHO. Não consegue quem o FINANCIE, pois não tem um contrato definitivo. Há VELHOS a quem são financiados MILHÕES, a Ele nem TOSTÕES. Dizem para aí que o sol quando nasce, nasce para todos. Para Ele não. Dizem também que os Jovens, merecem uma oportunidade, porque são inovadores. Este muito embora seja um bom promissor como poderá ser inovador se ainda não é Velho. Tenho procurado vinhas que estejam á venda, mas teem quase todas o mesmo PROBLEMA, não teem CASAS DE ARRUMOS, ou seja, não há possibilidade de construção. Ora o NOVO BANCO, vendeu, sem CONCURSO PÚBLICO (?), TERRENOS e MORADIAS a VELHOS " amigos " menos ao meu Amigo. E agora. Agora o Senhor Presidente do Novo Banco QUER que eu acredite naquilo que Ele diz. Não, não acredito e só acredito quando os NOMES, os NÚMEROS dos DEVEDORES forem ESCARRAPACHADOS para eu saber se são VELHOS ou em BOM ESTADO. Mas de qualquer maneira se por acaso o Senhor tiver alguma vinha para colocar no mercado, eu digo ao meu amigo e compramos e pagamos melhor do que ALGUM
  • Juíz Vermelho
    15 set, 2020 Catedral da Luz 21:26
    E se ele não fica como Presidente do Benfica em Outubro - e a derrota contra o PAOK e o afastamento da Champions, depois de 82 milhões gastos em reforços e numa equipa técnica enorme e cara, não vão ajudar em nada - em Novembro, está preso.
  • Americo Anastacio
    15 set, 2020 Leiria 20:16
    Ganhem calma. O homem (LFV) está como peixe na água. Se isto fosse um País a sério, bastaria "perguntar" (por quem tenha autoridade) ao9 filho de LFV onde ele foi "buscar" aqueles milhões todos que "gere" e que deram origem aos tais telefonemas (LEX). Pois é, mas........
  • Francisco Rodrigues
    15 set, 2020 Alges 19:10
    Aproveitem para analisar situações bem piores.. JOAQUIM OLIVEIRA. ....OLIVEDESPORTOS.....GLOBAL MEDIA....JORGE PINTO DA COSTA...FCP.....AGÊNCIA COSMOS....ALEXANDRE PINTO DA COSTA...