Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Há falta de viaturas para transporte escolar em concelhos de Bragança

14 set, 2020 - 13:48 • Olímpia Mairos

A Direcção-Geral da Saúde recomenda a limitação do número de passageiros a dois terços da lotação. Os municípios avisam que não têm autocarros nem táxis suficientes para cumprir horários de todos os alunos.

A+ / A-

Veja também:


“Não há viaturas suficientes para assegurar o transporte escolar” com as limitações da lotação devido à pandemia”. O alerta é o presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes.

De acordo com Artur Nunes, o caso mais gritante, porque problemático, situa-se no concelho de Vinhais.

“Vinhais é o caso mais problemático, tem 24 táxis e vai precisar de mais táxis para transportar os alunos e não tem táxis. Ou seja, ir e vir não permite o aluno chegar a horas à escola”, alerta o presidente da CIM.

No concelho de Vinhais, o transporte dos alunos é feito em dois autocarros e em táxis, transportes que não são suficientes para dar cumprimento às orientações da Direção Geral de Saúde que recomenda a limitação do número de passageiros a dois terços da lotação. Desdobrar viagens para alunos transportados não parece ser solução, num concelho onde alguns alunos residem a 35 quilómetros da vila.

Apesar de algumas câmaras, como é o caso da de Miranda do Douro e de Bragança, já terem contratado os serviços de transportes escolares para o novo ano letivo, com as limitações na lotação, vão ter de fazer novo concurso público, o que implicará não ter transportes no início das aulas.

Dando como exemplo o município a que preside – Miranda do Douro – Artur Nunes afirma que será necessário criar mais dois circuitos, o que implica nova adjudicação e mais custos nos orçamentos”, por se tratar de mais um imprevisto dos impactos da pandemia de Covid-19.

Além do custo acrescido com novas linhas, os autarcas destacam outras despesas acrescidas com o regresso às aulas, devido à pandemia, nomeadamente o reforço do pessoal que acompanha as crianças nas viagens e a aquisição e disponibilização de meios de proteção como o álcool gel.

A comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, que agrega os concelhos de Bragança, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Alfândega da Fé, Vila Flor, Vimioso, Vinhais, Mogadouro e Miranda do Douro, já alertou o Governo para a situação, através de uma carta enviada ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.