Lesbos

Migrantes hesitam em instalar-se no novo campo temporário. "É um segundo inferno, um segundo Moria"

14 set, 2020 - 08:51 • Sofia Freitas Moreira (edição) Reuters (imagens)

Começaram a ser acolhidos os primeiros migrantes de Lesbos, num novo campo temporário criado na ilha grega. A solução encontrada pelas autoridades pretende retirar das ruas as cerca de 13 mil pessoas desalojadas após o incêndio no campo de Moria. No entanto, muitos migrantes recusam-se a sair das ruas e pedem ajuda à Europa para saírem da ilha. O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, tem alertado para a necessidade de uma nova política de migração na Europa. “A Europa não pode falhar duas vezes numa questão tão importante”, sublinhou.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.