Tempo
|
A+ / A-

Pode a máscara ser uma espécie de vacina contra a Covid-19?

13 set, 2020 - 10:55 • Redação

A teoria publicada na revista New England Journal of Medicine não está comprovada, mas os investigadores consideram-na promissora. Pode estar a pode estar a ajudar a reduzir a severidade do vírus.

A+ / A-

Veja também:


As máscaras podem estar inadvertidamente a dar imunidade à Covid-19 às pessoas, e a reduzir o número de infetados do vírus. A conclusão é feita por académicos numa das revistas médicas mais respeitadas do mundo, a New England Journal of Medicine citado pelo jornal britânico "The Telegraph".

A teoria não está comprovada, mas os investigadores consideram-na promissora. O uso de máscara de forma universal pode estar a ajudar a reduzir a severidade do vírus, garantindo que uma proporção maior de novas infeções seja assintomática.

Se essa hipótese for confirmada, argumentam os académicos, o uso de máscara universal poderia tornar-se numa forma de inoculação que geraria imunidade e "assim, retardaria a disseminação do vírus nos Estados Unidos e em outros lugares". Isto numa altura em que o mundo aguarda uma vacina.

Isto ocorre à medida que há evidências crescentes sugerem que a quantidade de vírus a que alguém é exposto no início da infeção - a “dose infeciosa” - pode determinar a gravidade de sua doença.

Um grande estudo publicado na Lancet, no mês passado, descobriu que a “carga viral no diagnóstico” era um “indício de mortalidade” em pacientes hospitalares.

O uso de máscaras pode, portanto, reduzir a dose infeciosa à qual cada um de nós está exposto e, subsequentemente, o impacto da doença, pois as máscaras filtram algumas gotículas contendo vírus.

Se esta teoria for confirmada, argumentam os investigadores, o uso de máscara em toda a população pode garantir que uma taxa maior de infeções por Covid-19 seja assintomática.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.