Tempo
|
A+ / A-

Governo apresenta Agenda de Inovação para Agricultura

11 set, 2020 - 09:57 • Olímpia Mairos , André Rodrigues

A estratégia foi pensada para uma década e será ajustada em função de novas realidades e oportunidades.

A+ / A-

Impulsionar o setor agrícola para assegurar a autonomia do país e promover a sustentabilidade e modernização da agricultura nacional, são algumas das estratégias inscritas na Agenda de Inovação desta área para a próxima década.

Entre as várias iniciativas, insere-se a criação do Portal Único da Agricultura que servirá para agilizar o contacto entre agentes do sector.

“Queremos relacionar-nos com os produtores, com os agricultores de forma mais rápida, criando uma rede consolidada, estruturada, de entidades e organismos e infraestruturas que existem no Ministério da Agricultura e que se constituem como polos”, explica à Renascença a ministra da Agricultura.

Segundo Maria do Céu Antunes, a rede é constituída por 24 polos que vão ser distribuídos por todo o país “para dar resposta a um conjunto de 15 iniciativas emblemáticas, 71 linhas de ação que querem corresponder àquilo que são as metas e os objetivos que o Governo se propõe para esta legislatura”.

Outro dos objetivos da Agenda de Inovação passa por atrair jovens agricultores para o interior do país, promovendo “uma renovação geracional, não só no setor agrícola, como também na Administração Pública e, em concreto, nos serviços da agricultura, para chegar mais longe nesta agricultura moderna que queremos incentivar”, explica a ministra da Agricultura.

“Pretendemos instalar em territórios de baixa densidade 80% dos jovens ligados à agricultura, que se venham instalar em Portugal. Nós queremos aumentar em 20% o nível de adesão à dieta mediterrânica e queremos aumentar em 15% o valor da produção agroalimentar”, adianta Maria do Céu Antunes.

A ideia é ter mais de metade da área cultivável do país em regime de produção sustentável e para alcançar este objetivo, a ministra promete “aumentar em 70% o investimento em investigação e desenvolvimento”.

A agenda de Inovação para Agricultura foi pensada para uma década e será ajustada em função de novas realidades e oportunidades. Terá em conta as alterações climáticas e o “desafio demográfico”.

O objetivo é ter um documento que ajude a fazer uma gestão mais eficiente dos recursos naturais, com “maior respeito pela natureza e pela preservação da biodiversidade”, combatendo a degradação dos solos e o desperdício em todo o processo produtivo.

A apresentação da estratégia para a agricultura está marcada para esta manhã, na AgroGlobal, em Santarém, e conta com a presença do Primeiro-ministro, António Costa, e do Ministro da Agricultura de Espanha, Luís Planas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.