Tempo
|
A+ / A-

Presidenciais

Marcelo recusa enquanto Presidente da República comentar candidaturas

10 set, 2020 - 22:18 • Lusa

O Presidente falou durante uma visita à nova sede da Auchan em Portugal.

A+ / A-

Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar, enquanto Presidente da República, as candidaturas da socialista Ana Gomes e de Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, às presidenciais de 2021.

O chefe de Estado, que mantém em aberto a sua recandidatura e remeteu para novembro o anúncio da sua decisão, foi questionado sobre estas duas candidaturas à saída da cerimónia de inauguração da nova sede da empresa Auchan Retail Portugal, em Paço de Arcos, no concelho de Oeiras.

"Já sabem qual é a minha posição, do Presidente da República. O Presidente da República não comenta eleições nem candidatos. Nem as eleições regionais dos Açores nem as eleições presidenciais", respondeu Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas.

Confrontado com a possibilidade de vir a ser candidato, Marcelo Rebelo de Sousa distinguiu as duas condições, retorquindo de imediato: "O Presidente da República só é Presidente da República".

A eurodeputada do Bloco de Esquerda Marisa Matias apresentou-se como candidata a Presidente da República apoiada pelo seu partido na quarta-feira e quinta-feira a diplomata Ana Gomes fez o anúncio público da sua candidatura, que lançou sem o apoio do PS.

Marcelo elogia Auchan e defende que "a melhor ocasião para investir é esta"

O Presidente da República elogiou esta quinta-feira a Auchan, na inauguração sua nova sede em Portugal, e fez um apelo ao investimento no atual contexto de pandemia de Covid-19, sustentando que "a melhor ocasião para investir é esta".

No discurso que proferiu na cerimónia de inauguração da nova sede da Auchan Retail Portugal, em Paço de Arcos, no concelho de Oeiras, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "os milhões que vão chegar - assim cheguem mais depressa do que mais tarde - de Bruxelas só valerão a pena se, além do papel do Estado, houver o papel da sociedade civil, dos investidores".

"Que continuem a investir, que percebam que a melhor ocasião de investir é esta, não é mais tarde, tarde demais", pediu-lhes, acrescentando: "As grandes decisões de investimento tomam-se nos momentos mais complexos e difíceis, e são essas, as que antecipam os acontecimentos, que têm maior sucesso. Não são aquelas que vão a reboque, quando é óbvio que é preciso investir, essas são tardias".

No seu entender, também "de nada valerão os milhões vindos de Bruxelas se o país não for mais igual, se não houver menos pobreza, se não houver menos desigualdade, se não houver maior coesão social", porque "aí haverá alguns que beneficiarão, mas não todos".

Sobre a Auchan Retail, Marcelo Rebelo de Sousa elogiou-a pela "confiança, esperança e determinação relativamente ao futuro" e considerou que este grupo distribuidor francês "cumpre a sua missão", em Portugal, "por um lado, investindo, por outro lado, modernizando e, em terceiro lugar, mostrando responsabilidade social".

"É legítimo apelar àqueles como a Auchan para que continuem a dar exemplo de investimento, de modernização, de responsabilidade, de coesão social", reforçou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+