Tempo
|
A+ / A-

Líbano

Incêndio de grandes dimensões atinge porto de Beirute um mês depois da explosão

10 set, 2020 - 12:31 • Lusa

De acordo com a agência estatal de notícias do Líbano, o incêndio ocorreu num depósito de pneus.

A+ / A-
Incêndio de grandes dimensões atinge porto de Beirute um mês depois da explosão
Incêndio de grandes dimensões atinge porto de Beirute um mês depois da explosão

Um incêndio de grandes dimensões deflagrou, esta quinta-feira, no porto de Beirute, um mês depois de duas fortes explosões terem destruído parte da cidade.

As autoridades não conseguiram, ainda, identificar a causa do incêndio no edifício que já tinha sido dizimado nas explosões de 4 de agosto, quando quase 3.000 toneladas de nitrato de amónio foram detonadas.

A agência estatal de notícias do Líbano diz que o incêndio ocorreu num depósito de pneus, o que explica o fumo intenso.

Várias corporações de bombeiros estão neste momento a tentar controlar o incêndio.

As explosões de agosto mataram mais de 190 pessoas, ferindo cerca de 6.500 e danificando milhares de edifícios na capital libanesa.

O cenário de um outro grande incêndio provocou esta manhã o pânico entre a população ainda a recuperar das explosões do mês passado.

A “devastação” em Beirute vista por Farah. “Queremos sair do país. Não confiamos as nossas almas ao governo”
A “devastação” em Beirute vista por Farah. “Queremos sair do país. Não confiamos as nossas almas ao governo”
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    10 set, 2020 Funchal 14:50
    Mais poluição para o planeta. Otários!