Tempo
|
A+ / A-

Vacinação contra a gripe vai começar mais cedo

04 set, 2020 - 16:03 • Lusa

Ministério da Saúde conseguiu garantir a antecipação do fornecimento das primeiras mais de 100 mil doses da vacina.

A+ / A-

Veja também:


A secretária de Estado Adjunta e da Saúde avançou esta sexta-feira que a campanha de vacinação contra a gripe vai começar mais cedo este ano, depois do Governo ter conseguido antecipar o fornecimento das vacinas.

“Gostaríamos de informar que, esta semana, o Ministério da Saúde conseguiu garantir a antecipação do fornecimento das primeiras mais de 100 mil doses da vacina [contra a gripe] às unidades de saúde do Serviço Nacional de Saúde [SNS]”, disse Jamila Madeira, na conferência de imprensa de balanço da pandemia da Covid-19 em Portugal.

Isto vai permitir à Direção-Geral da Saúde (DGS) um “melhor planeamento” da distribuição desta vacina aos cidadãos dos grupos prioritários e mais vulneráveis, vincou.

A governante recordou a opção assumida pelo Governo neste ano “especialmente atípico”, de fazer a “maior compra de sempre do país” da vacina contra a gripe, num total de dois milhões de vacinas.

Desta forma, acrescentou, a distribuição iniciar-se-á “antecipadamente”, o que significa “mais vacinas contra a gripe para os portugueses e mais cedo garantidas aos que mais precisam”.

“A entrega precoce vai permitir antecipar a vacinação uns dias, dias que são muito úteis, sobretudo nos lares e grupos de risco”, sublinhou a diretora-geral da Saúde.

Contudo, Graça Freitas explicou que a vacinação não pode começar demasiado cedo porque a vacina pode perder eficácia ao longo da época gripal.

Outra das novidades desta campanha passa pelo facto de as grávidas e dos profissionais dos lares e das instituições com pessoas vulneráveis poderem receber a vacina gratuitamente, apontou.

Além destes, a diretora-geral disse estarem a estudar a integração no grupo da gratuitidade de pessoas com “situações clínicas muito específicas e até raras que podem levar a uma maior vulnerabilidade”.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 869.718 mortos e infetou mais de 26,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.833 pessoas das 59.457 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Luis dos Santos Ferr
    10 out, 2020 Parede 15:56
    O começar mais cedo a vacinação da Gripe é um,a meia verdade. Habitualmente começa a 15 de Novembro. Este ano começa apenas mais cedo para um pequno grupo de risco. Por exemplo para os grupos de risco com mais de 65 anos apenas começa a partir do dia 19 de novembro. Quém pretender marcar a data da vacina no Centro de Saúde contra a gripe é um grande problema. Estive (tenho 71 anos) dois dias seguidos a ligar por dois números de telefone (evitar as deslocações aos Centros de Saúde) para o meu Centro de Saúde durante cerca de 45 minutos e, ou estavam com o sinal de ocupado ou chamava ma ninguem atendia. É o País que temos. Haja paciência, digam a verdade e deixem a propaganda, porque com a saúde não se brinca.