Tempo
|
A+ / A-

Santa Maria da Feira. Criança infetada em creche coloca 32 pessoas em quarentena

03 set, 2020 - 10:46 • André Rodrigues com Lusa

Caso teve origem numa menina assintomática de quatro anos e obrigou a remeter para casa as crianças que frequentam a instituição, os pais e quatro funcionários.

A+ / A-

O Centro Social e Paroquial de Romariz, em Santa Maria da Feira, tem 28 crianças e quatro funcionários em quarentena devido à contaminação de uma menina com o novo coronavírus.

"Estamos a falar de uma criança de 4 anos, cuja mãe deu [resultado positivo para a[ Covid-19. Esta criança também deu, mas está assintomática", tendo sido "aconselhado retirar [do edifício] todas as crianças que estivessem em contacto" com a menina, explica à Renascença José Manuel Andrade, da direção desta instituição particular de solidariedade do distrito de Aveiro.

De início, "estavam previstas 32 crianças" a ficar de quarentena, "mas na listagem a DGS disse que só 28 ficariam em quarentena, mais quatro colaboradoras", adianta o pároco de Romariz, acrescentando ainda que "ninguém apresenta sintomas por enquanto.

"Todas as instruções da Direção-Geral da Saúde" (DGS) foram cumpridas, garante.

O mesmo centro social mantém em funcionamento, contudo, tanto a creche como o jardim-de-infância, assim como as valências de ocupação de tempos livres.

"O centro de dia está a funcionar bem, está no outro edifício", indica José Manuel Andrade, explicando que o espaço "está dividido em dois edifícios". Não há trajetos comuns às várias valências, "por isso é que continuamos ainda a funcionar", tal como "no infantário. As crianças estavam distribuídas por salas diferentes e valências diferentes", explica à Renascença.

A diretora técnica da instituição, Filipa Pinto, acrescenta à agência Lusa, na gestão deste caso, foi determinante a existência de um registo cronológico dos contactos entre os diferentes utentes.

"Foi uma sorte, mas algumas crianças só entraram no dia 1, quando as que estavam sob suspeita já estavam em casa, e isso deixou-as fora de risco", explicou.

A mesma responsável afirmou que a situação está a ser encarada com "tranquilidade, porque a instituição está a seguir todas as normas da DGS, sempre fez o controlo de temperaturas à entrada e também faz o registo de diarreias", pelo que "está alerta logo aos primeiros sintomas".

Em Portugal, onde os primeiros casos confirmados se registaram a 2 de março, o último balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS) indicava 1.827 óbitos entre 58.633 infeções confirmadas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • FIlipe
    04 set, 2020 évora 01:12
    "28 crianças e quatro funcionários em quarentena" ... e , são 32 com ligações a mais quantas pessoas nos últimos dias ? Pois isto não pode ser só visto dentro da escola como fosse a escola agora um Internato Salazarista ou um gueto de Judeus . Até porque a história fala em Judeus obrigados a lamber outros dentro dos campos concentração para espalhar o Tifo , doença que estava a ser estudada por Josef Mengele . E , para finalizar não tenhamos dúvidas que as escolas a partir de Setembro começam a ser Laboratórios Experimentais deste governo camuflado numa gerigonça Fascista de Extrema - Esquerda ... não abafem depois a conversa com o coitado do Chega ... existem genocidas em roda livre que deviam ser enforcados ontem tal como a família de Benito Amilcare Andrea Mussolini . Chega ( não é o partido ) de palhaçadas da DGS transformada hoje numa Corte Real .