Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de ​Covid-19

Sindicato dos professores quer desdobramento de turmas e teletrabalho para certos docentes

01 set, 2020 - 20:08 • Lusa

SPLIU considera esta que o ensino presencial constitui um "enormíssimo risco". Aulas retomam, presencialmente, nos ensinos básico e secundário entre 14 e 17 de setembro.

A+ / A-

Veja também:


O Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades (SPLIU) considerou esta terça-feira que o ensino presencial, na pandemia da covid-19, constitui um "enormíssimo risco", defendendo o desdobramento de turmas e o teletrabalho para professores com doenças crónicas.

Segundo o SPLIU, "o aumento do número de contágios nos últimos dias do mês de agosto e o anúncio, por parte do Governo, de que, a partir de 15 de setembro, será instaurado o estado de contingência, deixam antever que a opção pelo ensino presencial constitui um enormíssimo risco".

Por isso, o sindicato defende medidas que visem a redução do número de alunos por turma, como o desdobramento das turmas, e a continuação do regime de teletrabalho para os professores com "doenças de risco".

O SPLIU invoca que "o aligeiramento de alguns normativos por parte das autoridades de saúde", como a redução do distanciamento entre alunos de dois para um metro, "colocam em risco" sobretudo os professores mais velhos.

As aulas retomam, presencialmente, nos ensinos básico e secundário entre 14 e 17 de setembro.

Devido à pandemia da covid-19, as aulas decorreram este ano para a maioria dos alunos à distância entre o final do segundo período e o terceiro período. Os estudantes dos 11.º e 12.º anos regressaram à escola em meados de maio para se prepararem para os exames de acesso à universidade.

A pandemia da covid-19 já provocou pelo menos 851.071 mortos e infetou mais de 25,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.824 pessoas das 58.243 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus (tipo de vírus) detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Idosos e pessoas como doença crónicas, como diabetes e cancro, estão mais vulneráveis à doença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Professor Ludibriado
    02 set, 2020 5 de Out 15:36
    Quem manda, para o governo, é a Economia. Foi por isso que o PS tentou tirar diabéticos e hipertensos dos grupos de risco, e disfarçou dizendo que os direitos deles continuavam acautelados coisa que era mentira. Tanto assim que teve de haver uma coligação dita "negativa" a repor, na AR e contra os votos do PS - imaginem agora o PS com Maioria absoluta! - os diabéticos e hipertensos como grupos de risco e mesmo aí, a legislação para regular esses casos ficou "esquecida" pelo que não podem pedir tele-trabalho e se faltarem mesmo com atestado médico, estão sujeitos às mesmas regras, ou seja, são grupo de risco mas não são.
  • Maria TeRibeiro
    02 set, 2020 Lisboa 10:42
    Já pensaram na sala ou salas do JI com 30metros quadrados e 20 crianças com uma autista sem controle dos esfiterer Ana? E o 1 ciclo??? SALA com 30 metros quadrados por criança e 2 crianças com NEE na SALA??? ANTES DA CRIANCA CHEGAR AO 5 ANO TEM DE APENDER LER ESCREVER E MATEMÁTICA....SENAO OS PROF. DO 2 CICLO NAO SE QUEIXAM