Tempo
|
A+ / A-

Bastonário pede “cuidado muito especial para serem cumpridas regras da DGS” nos lares

25 ago, 2020 - 11:57 • Joana Gonçalves , Carla Caixinha

Tanto o primeiro-ministro como o bastonário Miguel Guimarães concordam ser preciso dar mais atenção à questão dos lares para evitar novas situações como a de Reguengos.

A+ / A-

Veja também:


O bastonário da Ordem dos Médicos apelou, esta terça-feira, a uma atenção redobrada, por parte de todos, à situação que se vive nos lares em Portugal em plena pandemia de Covid-19.

Miguel Guimarães deixou uma palavra de apreço a todos os médicos portugueses, mas lembrou ser “absolutamente essencial que todos se preocupem mais com os lares”. A mensagem foi deixada após uma reunião de quase três horas com o primeiro-ministro.

"Gostava de deixar uma palavra de respeito, confiança e de agradecimento pelo trabalho que têm feito, seja nos hospitais, seja nos centros de saúde, seja nas instituições de saúde pública, na medicina do trabalho, nos lares", afirmou o bastonário.

Nas suas declarações destacou, ainda, o trabalho "extraordinário" dos médicos que trabalharam no lar de Reguengos de Monsaraz. Médicos de família, que mesmo por vezes não tendo as condições mais adequadas, não deixaram de estar presentes e fizeram um trabalho magnífico".

Miguel Guimarães, que tinha solicitado, no passado domingo, um encontro "urgente" com António Costa a propósito de críticas aos médicos, pareceu satisfeito com o desfecho da reunião e agradeceu ao primeiro-ministro "o facto de ter demonstrado o apreço, o respeito e a confiança que tem nos médicos portugueses".

O “on” e o “off” da entrevista do primeiro-ministro ao “Expresso” deu o mote à reunião desta terça-feira. Mas Costa já tinha provocado a indignação da Ordem dos Médicos por ter dito que aquela entidade não tem poderes fiscalizar situações como a do lar de Reguengos de Monsaraz e que as Ordens não existem para fiscalizar o Estado.

“Temos de contar com uma segunda onda” de Covid-19

Entre os desafios para o próximo outono e inverno, o bastonário da Ordem dos Médicos aponta a possibilidade de uma segunda onda de Covid-19 e relembra a importância de apostar na prevenção.

No entanto, Miguel Guimarães mostra-se otimista e adianta que “se as pessoas respeitarem as regras definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), muito provavelmente a gripe sazonal vai ter muito menos impacto que teve nos outros anos”.

“Continuar a recuperar aquilo que são os doentes não covid, aqueles que ficaram para trás durante este período em que a pandemia teve uma força importante neste país” é também uma das prioridades apontadas pelo dirigente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.