Tempo
|
A+ / A-

Tensão na Bielorrússia. OSCE propõe mediação para alcançar diálogo construtivo

18 ago, 2020 - 07:57 • Lusa

Desde há uma semana que o país é palco de protestos maciços contra a reeleição do Presidente, Alexander Lukashenko, que muitos, incluindo a UE, consideram fraudulenta.

A+ / A-

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) propôs uma mediação ao Governo da Bielorrússia, após a contestada reeleição do Presidente Alexander Lukashenko, para estabelecer “um diálogo aberto e construtivo”.

Em comunicado, a organização disse que foi oficialmente apresentada ao Governo uma proposta de encontro com a OSCE, o primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, e os representantes da oposição.

A OSCE reiterou ainda a sua preocupação face à “condição da eleição presidencial”, bem como sobre o “uso desproporcional da força contra os manifestantes pacíficos, detenções generalizadas e tortura”.

A Alemanha, que exerce atualmente a presidência da União Europeia (UE), ameaçou na segunda-feira ampliar as sanções europeias impostas a responsáveis da Bielorrússia, depois da violência contra manifestantes que exigem o afastamento de Alexander Lukashenko.

“Admitimos a possibilidade de estender as sanções a outros responsáveis” bielorrussos se a situação não melhorar, disse à imprensa o porta-voz da chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert.

Seibert defendeu ainda que OSCE pode ter “um papel importante”, enviando uma missão de mediação ao país para verificar os resultados da contestada reeleição de Lukashenko, no poder desde 1994.

A OSCE informou anteriormente que não enviou uma missão de observação às eleições de 9 de agosto na Bielorrússia por não ter recebido um convite de Minsk em tempo útil, o procedimento definido nos estatutos da organização.

Desde há uma semana que a Bielorrússia é palco de protestos maciços contra a reeleição do Presidente, Alexander Lukashenko, que muitos, incluindo a UE, consideram fraudulenta.

Em resposta ao agravamento da crise, os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE acordaram na sexta-feira impor sanções contra as autoridades bielorrussas ligadas à fraude eleitoral e à repressão violenta das manifestações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+