Tempo
|
A+ / A-

Ordem dos Contabilistas denuncia irregularidades para aceder a apoios do Estado

14 ago, 2020 - 10:19 • Marta Grosso com redação

Em causa, a linha de crédito para as micro e pequenas empresas. “Perfeitamente inaceitável”, diz bastonária, que garante apresentar queixa no Ministério Público.

A+ / A-

A Ordem dos Contabilistas acusa os bancos de estarem a pedir aos contabilistas que prestem falsas declarações acerca da quebra de faturação dos clientes.

O objetivo é permitir que as empresas acedam indevidamente à linha de crédito de mil milhões de euros para micro e pequenas empresas, que tem garantias do Estado.

“Aquilo de que temos conhecimento é que se está a passar algo que eu acho perfeitamente inaceitável, que é os bancos estarem a pedir aos contabilistas para fazerem o jeitinho de passar estas declarações mesmo quando as empresas não apresentam esta quebra de faturação”, denuncia Paula Franco na conferência online semanal de quarta-feira.

A bastonária condena tais ações e avisa que as queixas que chegarem Ordem serão encaminhadas para o Ministério Público.

“Eu chamo a atenção aos contabilistas certificados que, se vierem queixas destas para a Ordem dos Contabilistas Certificados, os casos serão levados a concelho disciplinar. Estamos a falar de dinheiros públicos, portanto, falsas declarações neste âmbito é crime público”, sublinha.


O programa Adaptar visa ajudar as micro e pequenas empresas cuja faturação tenha sido afetada pela pandemia de Covid-19. As microempresas podem obter um financiamento máximo de 50 mil euros e as pequenas empresas até 250 mil.

Para se poderem candidatar terão de provar ter tido uma quebra de pelo menos 40% da faturação e não ter beneficiado de outras linhas de crédito com garantia mútua.

As candidaturas abriram em 6 de agosto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • cca
    14 ago, 2020 leiria 12:07
    porque será que isto está acontecer? não será porque há bancos que ainda não conseguiram fazer um unico emprestimo? O sr ministro anunciou ao pais a linha mas ainda não explicou as condições de acesso . Há empresas que não faturam todos os meses logo basta não terem faturado nos meses de janeiro e fevereiro e nos meses seguintes por apenas faturarem um euro já não têm acesso. Vamos ver se o sr. ministro vem fazer o balanço dos apoios. vamos ver se não vão ficar com o dinheiro quase todo . Micro empresas não são só o comercio.