Tempo
|
A+ / A-

PJ investiga ameaças contra dirigente da SOS Racismo, deputadas e ativistas

12 ago, 2020 - 20:07 • Redação

A PJ está a investigar. O Bloco de Esquerda diz estar a preparar uma queixa para enviar ao Ministério Público, já que duas deputadas do partido são visadas na ameaça.

A+ / A-

A associação SOS Racismo recebeu uma ameaça, via e-mail, de um grupo de extrema-direita, em que é dado um prazo de 48 horas para que dez pessoas abandonem Portugal, incluindo dirigentes da organização, duas deputadas do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua e Beatriz Gomes Dias, e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira.

A informação foi avançada pela RTP e confirmada à Renascença por fonte do Bloco de Esquerda, que adianta que está a elaborar uma queixa ao Ministério Público.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o caso. A associação fez uma denúncia, na terça-feira, após ter recebido o e-mail com a ameaça, cerca das 20 horas, confirmou à Renascença José Falcão, dirigente da associação. A PJ esteve na sede da associação esta quarta-feira, no âmbito da investigação.

As ameaças visam também nomes ligados a movimentos antirracistas, antifascistas e sindicais. Jonathan Costa, Danilo Moreira, Rita Osório e Vasco Santos são membros da Frente Unitária Antifascista. Luís Lisboa é membro do Núcleo Antifascista de Guimarães e Melissa Rodrigues membro do Núcleo Antirracista do Porto.

Com data de 11 de agosto, a mensagem de correio eletrónico foi enviada, a partir de um endereço criado num ‘site’ de ‘e-mails’ temporários, para o SOS Racismo e é assinada por “Nova Ordem de Avis – Resistência Nacional”, a mesma designação de um grupo que reclamou, na rede social Facebook, ter realizado, de cara tapada e tochas, uma “vigília em honra das forças de segurança” em frente às instalações da SOS Racismo, em Lisboa, e que um dos dirigentes desta associação, Mamadou Ba, classificou como “terrorismo político”.

Mamadou Ba esteve hoje a prestar declarações na Polícia Judiciária (PJ).

No e-mail recebido pela SOS Racismo pode ler-se o seguinte texto:

“Informe da Nova Ordem de Avis - Resistência Nacional:

- Beatriz Gomes
- Danilo Moreira
- Joacine Katar Moreira
- Mamadou Ba
- Jonathan Costa
- Rita Osório
- Vasco Santos
- Luís Lisboa
- Melissa Rodrigues
- Mariana Mortágua

Informamos que foi atribuído um prazo de 48 horas para os dirigentes antifascistas e anti-racistas incluídos nesta lista, para rescindirem das suas funções políticas e deixarem o território português.

Sendo o prazo ultrapassado, medidas serão tomadas contra estes dirigentes e os seus familiares, de forma a garantir a segurança do povo português. O mês de Agosto será mês da luta contra os traidores da nação e seus apoiantes. O mês de Agosto será o mês do reerguer nacionalista.

NOA-RN”

[Em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    16 ago, 2020 01:36
    Ninguém liga a escumalha das caixas de comentários como os comentadores "observador" e cidadao".
  • Cidadao
    13 ago, 2020 Lisboa 13:44
    Aqueles que vivem das ajudas do Estado e Segurança Social, ou seja, só vivem cá e são naturalizados "portugueses" à pressão, para beneficiar do Estado Social, é que se costumam ver e ouvir a gritar "Racismo, Racismo" a cada esquina e sempre que contrariados nas pretensões de "mamowski". As pessoas de côr que cumprem as Leis, que se integraram na Sociedade e trabalham para viver como todos nós, têm uma Vida para tocar para a frente, e não têm tempo, nem paciência, nem se veem por aí a gritar "Racismo" em todo o lado e a qualquer hora só para terem palco e tempo de antena.
  • Bernardo Soares
    13 ago, 2020 Bombarral 11:58
    Engraçado que até haver expressão política da extrema direita em Portugal, apesar de sempre ter havido racismo, era mais dissimulado e envergonhado. Agora é gritante e desavergonhado. O assunto racismo não é meramente político, é uma questão de consciência. Consciência histórica, ética e empatia. Que não nos esqueçamos que tudo aquilo de que acusamos os negros é um eufemismo face a tudo o que lhes foi feito por gerações anteriores de portugueses. O que tanto nos incomoda com a presença deles? Os inexpressivos casos de crime a envolver negros são, na sua maioria, causados por miséria, falta de apoio e de enquadramento em Portugal. Os que se conseguem virar têm, de longe, mais mérito e sacrifício para chegar onde qualquer português branco possa chegar profissionalmente. Somos todos humanos, fruto de uma miscelânea de ADN vinda de todos os cantos dos mundo. É deixar de ser burro, ganhar um pingo de respeito por todas as vidas humanas, sobretudo as mais injustiçadas.
  • Rita
    13 ago, 2020 Lisboa 10:04
    Prisão para os fascistas já!
  • Observador
    13 ago, 2020 Portugal 09:42
    Nem há instituições nazis com um mínimo de organização a operar cá, nem esta mensagem merece credibilidade. E não me admirava nada que não fosse enviada pela própria SOS Racismo, só para se vitimizar e continuar a aparecer nos jornais, visto que de tanto gritarem "Racismo, Racismo", já ninguém lhes liga.
  • Rui Lopes
    12 ago, 2020 Coimbra 21:16
    Essa escumalha nazi toda presa e já!