|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Lítio em Montalegre. “É extremamente ridículo andar a conservar a região para ser destruída por uma mina”

11 ago, 2020 - 12:04 • Olímpia Mairos

A luta não esmoreceu com a Covid-19 e a Associação Montalegre Com Vida está a preparar uma vigília para alertar para os perigos de uma mina de lítio a céu aberto, na freguesia de Morgade.

A+ / A-

Contra a mina de lítio na freguesia de Morgade, a Associação Montalegre Com Vida está a preparar uma vigília para o próximo sábado, dia 15. A iniciativa vai realizar-se no local onde estão a ser realizadas as prospeções.

“O objetivo é chamar a atenção, dizer que não aceitamos que nos coloquem uma mina à porta de nossas casas, que continuamos firmes na nossa luta e nas nossas convicções, que não esmorecemos com a Covid-19 e é uma demonstração de que estamos atentos”, explica à Renascença Armando Pinto, dirigente da associação que surgiu para lutar contra a exploração mineira.

A vigília está marcada para o local onde se prevê implantar a mina de lítio e contempla uma plantação simbólica de árvores, uma por cada furo feito pelas sondagens e prospeções, uma tertúlia com vários grupos e associações de vários pontos do país e, ainda, um passeio, para mostrar toda a área que, segundo a associação, vai ser destruída.

Os promotores da iniciativa querem aproveitar a presença dos muitos emigrantes que se encontram de férias, para os sensibilizar e juntar à causa.

“Não vamos conseguir ter lá toda a gente, porque temos que cumprir as regras de segurança, mas queremos sensibilizar e alertar para os perigos que advêm da construção de uma mina”, afirma Armando Pinto.

O dirigente associativo lembra que “todo o concelho de Montalegre é reserva da biosfera, património agrícola mundial, tem o único parque nacional do país e onde querem fazer a mina é uma zona tampão desse próprio parque nacional, é uma zona onde existe o lobo ibérico”.

“É extremamente ridículo andar tantos anos a procurar conservar esta região, temos um selo que é atribuído pela FAO e não podemos deixar que isto se perca, porque isto deu muito trabalho”, afirma Armando Pinto, acrescentando que “não vamos permitir que alguém venha destruir aquilo que custou tanto a fazer”.

O contrato de concessão de exploração de lítio no concelho de Montalegre foi assinado em março de 2019, entre o Governo e a Lusorecursos Portugal Lithium, e tem estado envolto em polémica.

De acordo com a empresa, a exploração da mina de lítio em Morgade vai ser mista, efetuando-se primeiro a céu aberto e depois em subterrâneo, e prevê a construção de uma unidade industrial para transformação do minério.

A população das aldeias de Morgade, Rebordelo e Carvalhais, opõe-se ao projeto. As razões e preocupações prendem-se com a dimensão da mina e com as consequências ambientais, na saúde e na agricultura.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.