Tempo
|
A+ / A-

Morreu John Hume, Nobel da Paz em 1998

03 ago, 2020 - 10:00 • Redação

Homem crucial no processo de paz na Irlanda do Norte faleceu aos 83 anos.

A+ / A-

Morreu o político norte-irlandês John Hume, que foi agraciado com Nobel da Paz de 1998, pelo papel crucial que desempenhou no conflito sangrento na Irlanda do Norte.

Hume é um antigo líder católico do Partido Social Democrata e Trabalhista (PSDT), sendo que é considerado principal arquiteto do acordo de paz que pôs fim a três décadas de violência na Irlanda do Norte.

Apesar das enormes críticas, Hume sempre defendeu a decisão de conversar com Sinn Féin para construir esse processo de paz. John Hume morreu aos 83 anos e sempre defendeu que a política era a alternativa à guerra.

O envolvimento de John Hume no jogo da política da Irlanda do Norte começou nas ruas de sua cidade natal, Londonderry, onde nasceu em 1937.

As reformas da educação pós-guerra permitiram que ganhasse uma bolsa de estudos na escola de letras local e estudou durante algum tempo para o sacerdócio, antes de voltar a trabalhar como professor.

Apesar da maioria da população nacionalista, o conselho de Derry era controlado por sindicalistas - e sua reforma estava entre as principais demandas do movimento pelos direitos civis.

Hume viveu em Bogside, palco de alguns dos primeiros confrontos na Irlanda do Norte, e testemunhou em primeira mão o avançar do protesto pacífico para o violento confronto nas ruas.

À medida que a situação na Irlanda do Norte piorou, juntou-se a outros nacionalistas constitucionais, incluindo Gerry Fitt, na fundação do PSDT. O grande objetivo era o de uma Irlanda unida.

John Hume renunciou ao cargo de líder do PSDT em setembro de 2001, tendo estado no comando por 22 anos. O político sofria de sérios problemas de saúde que o levou a reduzir a carga de trabalho drasticamente. Nos últimos anos, John Hume lutou contra a demência e teve de se afastar do palco público.

Em 2018, no 20º aniversário do “Acordo da Sexta-feira Santa”, a esposa anunciou que ele já tinha poucas memórias do papel que desempenhou na vida política da Irlanda do Norte.

"É muito triste, a memória dele desapareceu. John não se lembra muito do acordo de 1998, ou do Acordo Anglo-Irlandês ou Sunningdale ou qualquer outra coisa", rematou.Homem crucial no processo de paz na Irlanda do Norte faleceu aos 83 anos.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.